Ensino de língua portuguesa e memes de internet: outros textos, outras leituras

Isnalda Berger, Úrsula Cunha Anecleto

Resumo


Neste artigo, discutimos sobre a importância do trabalho com textos multimodais e multissemióticos, a exemplo dos memes de intenet, no ensino de Língua Portuguesa, na educação básica. Tem por objetivo discutir as possibilidades de ações discursivas geradas a partir da leitura desses memes que circulam em novas esferas públicas, a exemplo do gênero discursivo blog. Como referencial teórico, ancora-se nos estudos sobre racionalidade comunicativa e a ação discursiva (HABERMAS, 2012); esfera pública (HABERMAS, 1984; 1997) e memes de internet (RECUERO, 2009). Enfatizamos que a esfera pública é um espaço para debate, formação de opinião, a partir do melhor argumento, e, nesse sentido, torna-se importante criar oportunidades na educação básica para os estudantes atuarem, de forma mais autônoma, sobre as mídias digitais, sustentando suas opiniões e desenvolvendo argumentos nesses espaços emergentes, possibilitando a ampliação de ações discursivas com vista a uma racionalidade comunicativa. 


Texto completo:

PDF

Referências


ANECLETO, Úrsula Cunha. Ação linguístico-comunicativa e práticas discursivas em esferas públicas na sociedade em rede. Revista A Cor das Letras, v. 16, p. 23-39, 2015.

ANTUNES, Irandé. Aulas de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: ____________. Estética da criação verbal. Martins Fontes: São Paulo: 1997. p. 277-326.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. V. 3. Brasília: MEC, 1997.

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Tradução Magda Lopes. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

MILLER, Carolyn R.; SHEPHERD, Dawn.. Blogar como ação social: uma análise do gênero weblog. In. DIONÍSIO, Angela Paiva; HOFFNAGEL, Judith. (org.) Gênero textual, agência e tecnologia. São Paulo: Parábola Editorial, 2012, p. 59-86.

FERRO, Ana Paula R. A netnografia como metodologia de pesquisa: um recurso possível. Educação, Gestão e Sociedade: revista da Faculdade Eça de Queirós, ISSN 2179-9636, Ano 5, número 19, agosto de 2015.

FIORIN, José Luiz. Da necessidade da distinção entre texto e discurso. In. BRAIT, Beth; SILVA, Maria Cecília Souza e. Texto ou discurso? São Paulo: Contexto, 2012.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2016. p. 21-83.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Vol. II. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997, p. 91-98.

HABERMAS, Jürgen. Pensamento pós-metafísico: estudos filosóficos. Tradução Nachmetaphysisches Denken, Philosophische Ayfsätze. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990.

HABERMAS, Jürgen. Jürgen Habermas: obras escolhidas. Volume I. Tradução Lumir Nahodil. Lisboa: Edições 70, 2010.

HABERMAS, Jürgen. Teoria do agir comunicativo: racionalidade da ação e racionalização social. Vol 1. Tradução Paulo Astor Soethe. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012.

MARCUSCHI, L. A. O hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula. Linguagem & Ensino, Vol. 4, No. 1, 2001.

RECUERO, Raquel. Difusão de informação em redes sociais. In: ___________. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009, p. 116-134.

RIBEIRO, Ana Elisa. Textos multimodais: leitura e produção. 1 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v18i3.2054

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973