Aspectos fonéticos da variação linguística-identitária das comunidades rurais do 3º Distrito de Nova Friburgo-RJ

Jaqueline de Moraes Thurler Dália

Resumo


Este trabalho se dedicou a investigar, no âmbito da Sociolinguística, a variedade dialetal das comunidades rurais do 3º Distrito de Nova Friburgo, partindo da hipótese de que nela havia uma arquicomunidade de fala. Pretendeu-se identificar se a variedade falada pelas famílias agricultoras da região orientava-se para o prestígio ou para a manutenção da identidade, de acordo com os estudos de Labov (2008) e com os preceitos de comunidades de prática e de redes sociais. No que tange ao levantamento de dados, foram realizadas 39 entrevistas com moradores do território analisado. Nos aspectos fonéticos, perceberam-se, no interior friburguense, variações fonéticas identitárias como monotongação, metafonia, principalmente na elevação de vogais temáticas, despalatização e paragoge. Os traços característicos da fala local foram mais recorrentes gradualmente nos seguintes grupos: faixa etária 1, com baixa escolaridade; gênero masculino; estudantes do curso de agropecuária.


Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, Maria do Socorro Silva de. Variantes diatópicas e diastráticas na língua portuguesa do Brasil. Graphos. v. 12, n. 2, 2010.

BATTISTI, Elisa. Redes sociais, identidade e variação linguística. In: FREITAG, Raquel Meister Ko (Org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014.

BHABHA, Homi, K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Do campo para a cidade: estudo sociolinguístico de migração e redes sociais. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Manual de Sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Nós cheguemu na escola, e agora?: sociolinguística e educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BOTELHO, José Mario; LEITE, Isabelle Lins. Metaplasmos contemporâneos: um estudo acerca das atuais transformações fonéticas da língua portuguesa. Anais do CLUERJ-SG, São Gonçalo-RJ, v. 2, 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2016.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 13. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito: estudos sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 11. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010.

CARNEIRO, Maria José. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, n. 11, p. 53-75, 1998.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2012.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. Rumos da dialetologia portuguesa. Revista Alfa, vol. 18/19, p. 115-153, 1973.

CASTILHO, Ataliba Teixeira de. A hora e a vez do português brasileiro. Arquivos do Museu da Língua Portuguesa. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – 1. Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

COMERFORD, John Cunha. Comunidade Rural. In: MOTTA, Márcia. (Org.). Dicionário da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

COSTA, Luciane Trennephol da. Estudo do Rotacismo: variação entre as consoantes líquidas. 2006. 167 f. Dissertação de Mestrado (Instituto de Letras). Universidade Federal do Rio Grande do Sul., Porto Alegre, 2006.

DUBOIS, Jean. et. al. Dicionário de Linguística. São Paulo: Cultrix, 2014.

ECKERT, Penélope; MCCONNELL, Sally. Comunidade de prática: lugar onde co-habitam linguagem, gênero e poder. In: OSTERMANN, Ana Cristina; FONTANA, Beatriz (Org.). Linguagem, gênero e sexualidade: clássicos traduzidos. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

FRAZÃO, Gabriel Almeida. “A serviço da formação do jovem rural”: desafios e contradições na atuação do CEFFA CEA Rei Alberto I como agente do desenvolvimento do meio. 2015, 206 f. Tese (Doutorado – CPDA). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

FREITAG, Raquel Meister Ko. Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014.

FREITAG, Raquel Meister Ko. Amostras sociolinguísticas: probabilísticas ou por conveniência? Revista de estudos da linguagem, Belo Horizonte-MG, p.1-20, 2017.

FREITAG, Raquel Meister Ko.; SEVERO, Cristine Gorski. Mulher, linguagem e poder: estudos de gênero na sociolinguística brasileira. São Paulo: Blucher, 2015.

GAGO, Paulo Cortes. Questões de transcrição em análise de conversa. Vereda: estudos da linguagem, v. 6, n. 2, p.89-113, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LABOV, William. Padrões sociolinguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

OLIVEIRA, Victor Pereira de. Repensando o rural sob o prisma das urbanidades, em Nova Friburgo, RJ. Curitiba, PR: CRV, 2011.

OSTERMANN, Ana Cristina; FONTANA, Beatriz (Org.). Linguagem, gênero e sexualidade: clássicos traduzidos. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

PAIVA, Maria da Conceição de. A variável gênero/sexo. In: MOLLICA, Maria Cecília e BRAGA, Maria Luiza. Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

RODRIGUES, Ana Germana pontes. A realização variável das fricativas no português brasileiro. Sociodialeto. Campo Grande-MS, Vol. 2, N. 1, p 1-22, jul. 2012.

SEVERO, Cristine Gorski. A questão da identidade e o lócus da variação/mudança em diferentes abordagens sociolinguística. Revista Letra Magna, ano 4, n. 7, 2. sem. 2007.

SILVA, Giselle Machline de Oliveira e. Coleta de dados. In: MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolinguística. 8. ed. São Paulo: Ática, 2007.

TAVARES, Maria Alice; MARTINS, Marco Antonio. O banco de dados Fala-Natal: uma agenda de trabalho. In: FREITAG, Raquel Meister Ko (Org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014.

OUSHIRO, Livia. Transcrição de entrevistas com o ELAN. In.: FREITAG, Raquel Meister Ko (Org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014.

VITÓRIO, Elyne Giselle de Santana Lima Aguiar. A língua falada em Alagoas: coleta e transcrição de dados. In: FREITAG, Raquel Meister Ko (Org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014.

VOTRE, Sebastião Josué. Relevância da variável escolaridade. In: MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luiza. Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

ZILES, Ana Maria Stahl; MAYA, Leonardo Zechlinsk. e SILVA, Karine Quadros da. A concordância verbal com a primeira pessoa do plural em Penambi e Porto Alegre, RS. Organon, v.14, n.28-29, p.1-25, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v19i4Especial.2858

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Universidade Estadual de Feira de Santana

A Cor das Letras está indexada em: 
 
 

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

ISSNe 2594-9675 
ISSN-L 1415-8973