O JORNAL DEMOCRÁTICO: Demandas do literário em meio à proposta política

Gilda Santos

Resumo


No capítulo das prefigurações do “25 de Abril”, o jornal Portugal Democrático (editado em São Paulo de 1956 a 1975) define-se como assumida forma de ação anti-salazarista no Brasil. Reunindo nomes de prestígio nas Letras, como Adolfo Casais Monteiro e Jorge de Sena, desempenha forte papel congregador dos exilados políticos, além de praticar vários modos de sociabilidade, em que se destaca o diálogo fértil com intelectuais brasileiros. A constância da poesia em suas páginas merece especial enfoque.

Texto completo:

PDF

Referências


MATTOSO, José, org. (s/d) História de Portugal. Lisboa, Estampa, v. VII.

SANTOS. Gilda (1998) Da arte de ser multiplamente português num exílio brasileiro. In: JORGE DE SENA vinte anos depois (2001), Lisboa, Cosmos/Câmara Municipal de Lisboa.

SENA, Jorge de. (1988). Estudos de Literatura Portuguesa-II, Lisboa, Ed. 70.

SENA, Jorge de. (2000). Fernando Pessoa & Ca. Heterónima, 3 ed., Lisboa, Ed. 70.

SENA, Mécia de & SENA, Isabel Maria de, org. La scheda. In: STEGAGNO PICCHIO, Luciana, org. (1983), Quaderni Portoghesi, Pisa: Giardini, 13/14: 14-22.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/lm.v3i1.1975

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Légua & Meia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

A Revista Légua & Meia está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.