#Mulherpresente: existência e resistência em Os Sertões de Euclides da Cunha

Anélia Montechiari Pietrani

Resumo


Este artigo tem o propósito de refletir, sob uma perspectiva literária, acerca da caracterização das mulheres presentes em Os sertões, de Euclides da Cunha, partindo do estudo de Mireille Dottin-Orsini (1996) sobre a representação da mulher fatal na arte da segunda metade do século XIX. Considerando que a construção das imagens de mulheres no livro de Euclides atravessa tanto o estilo gótico quanto o expressionismo, objetiva-se também discutir como a presença feminina na obra estabelece relação com o projeto do autor de escrever um livro vingador, de denúncia ao crime perpetrado pelo Exército brasileiro em Canudos, a fim de compreender que a existência das mulheres no arraial, tal como figuradas por Euclides em seus “quadros de guerra” (BUTLER, 2015), significa sua própria resistência.


Palavras-chave


Euclides da Cunha; Guerra de Canudos; mulheres; resistência.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Cícero Antônio F. de. Canudos: imagens da guerra. Rio de Janeiro: Lacerda Ed.; Museu da República, 1997.

ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. In: ____. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994. v. 1, p. 807-944.

BARROS, Luitgarde Oliveira Cavalcanti. Canudos na perspectiva científica. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, 159 (398), p. 319-329, jan/mar 1998.

BAUDELAIRE, Charles. As flores do mal. Tradução, introdução e notas de Ivan Junqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BILAC, Olavo. Obra reunida. Organização de Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1996.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulario portuguez & latino: aulico, anatomico, architectonico ... Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728. 8 v.

BORMANN, Maria Benedita. Lésbia. Florianópolis: Editora Mulheres, 1998.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto? Tradução de Sérgio Lamarão e Arnaldo Marques da Cunha. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

______________. Frames of war: when is life grievable? London; New York: Verso, 2009.

CALAZANS, José. As mulheres de Os sertões. In: ____. No tempo de Antônio Conselheiro. Salvador: Livraria Progresso; Universidade da Bahia, 1959. p. 7-23.

________________. As mulheres de Os sertões. In: FERNANDES, Rinaldo de (org.). O clarim e a oração: cem anos de Os sertões. São Paulo: Geração Editorial, 2002. p. 189-197.

CHERNOVIZ, Pedro Luiz Napoleão. Diccionario de medicina popular e das sciencias accessorias ... 6. ed. consideravelmente aumentada, posta a par da ciência. Paris: A. Roger & F. Chernoviz, 1890. 2 v.

CRUZ E SOUSA, João da. Obra completa de Cruz e Sousa. (Introdução Andrade Muricy). Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.

CUNHA, Euclides da. Os sertões. In: ____. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995. v. 2, p. 97-515.

DOTTIN-ORSINI, Mireille. A mulher que eles chamavam fatal: textos e imagens da misoginia fin-de-siècle. Tradução de Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco, 1996.

FERREIRA, Luzilá Gonçalves. Presença das mulheres em Canudos. In: FERNANDES, Rinaldo de (org.). O clarim e a oração: cem anos de Os sertões. São Paulo: Geração Editorial, 2002. p. 367-377.

MELO E SOUZA, Ronaldes de. A geopoética de Euclides da Cunha. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2009.

RICH, Adrienne. Collected poems (1950-2012). New York; London: W.W. Norton & Company, 2016.

SANTOS, Rinaldo dos. Os sertaníadas 1500-1900: 500 anos de hipocrisia na História do Brasil. Porto Alegre: Revolução eBook, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/lm.v9i1.4543

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Légua & Meia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Indexadores:

 Resultado de imagem para crossref