Análise da incidência de baciloscopia reagente em presidiários do município pernambucano Canhotinho

Ana Catarina Simonetti, Emanoel Mendonça de Lima, Lais Pedrosa Morais Cabral, Renata Pinheiro Florêncio

Resumo


A tuberculose (TB) ainda é uma doença infectocontagiosa de caráter fatídico, pois segundo dados da Organização Mundial de Saúde/OMS (2016), o Brasil é um dos 20 países com elevada prevalência dessa enfermidade, conferindo uma incidência cerca de 50 vezes superior à população geral, nas prisões, assim gerando um maior risco de disseminação da TB. O objetivo dessa pesquisa foi analisar a incidência de casos de baciloscopia reagente em presidiários do município Canhotinho, com base nos dados da V GERES de Garanhuns, Pernambuco. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo documental retrospectivo, com abordagem quantitativa não experimental, em que prontuários de presidiários (n = 734), concedidos pela V GERES, foram avaliados. Identificou-se que, apenas 14 (1,9%) obtiveram positividade no teste de BK e, consequentemente, 720 (98,1%), obtiveram resultado negativo. No ano de 2016, a positividade representou um aumento de 150% em relação ao ano de 2015, ou seja, 10 (1,4%) casos de positividade foram averiguados, frente 4 (0,5%) casos, em relação ao número total de prontuários. Confere-se que a implementação de políticas públicas mais rígidas, voltadas para a saúde e controle da TB nos presídios é necessária.


Palavras-chave


Epidemiologia, Mycobacterium tuberculosis, Saúde Pública e Tuberculose

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Portal da Saúde. Ministério da Saúde. Tuberculose. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/ tuberculose [novembro de 2017].

Iseman MD. Tuberculose. In: Goldman L, Ausiello D. Cecil: Tratado de Medicina Interna. Rio de Janeiro: Campus- Elsevier; 2005.

Kritski AL. Duas décadas de pesquisa em tuberculose no Brasil: estado da arte das publicações científicas. Rev. Saúde Pública. 2007; 9(6): 633-9.

Brasil. Portal da Saúde. Secretaria Estadual de Saúde. Tuberculose. Disponível em: . [2017 dez 10].

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de Recomendações para o controle da Tuberculose no Brasil. Disponível em: . [15 jan 2018].

Sánchez A, Gerhardt G, Natal S, Capone D, Espinola AB, Costa W. Prevalence of pulmonary tuberculosis and comparative evaluation of screening strategies in a Brazilian prison. Int J Tuberc Lung Dis 2005; 26(2): 216-29.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Brasília; 2009.

Albuquerque MFM. Prognostic factors for pulmonar tuberculosis outcome in Recife, Pernambuco, Brazil. Rev. Panam. Salud Públ. 2001; 9(6): 3678-374.

Maria PGM,Lacerda MVG, Santos MC. Manual de Tuberculose. Disponivel em: . [Dezembro 2017].

Macedo LR, Macedo CR, Maciel ELN. Vigilância epidemiológica da tuberculose em presídios do Espírito Santo. Rev. Bras. Promoc. Saúde 2013; 26(2): 216-222.

Reis AJ, David SMM, Nunes LS, Valim ARM, Possuelo LG. Transmissão recente de Mycobacterium tuberculosis resistentes aos antimicrobianos em população carcerária no sul do Brasil. J Bras Pneumol. 2016; 2229(6): 633-9.

Valença MS, Possuelo LG, Cezar-Vaz MG, Silva PEA. Tuberculose em presídios brasileiros: uma revisão integrativa da literatura. Ciênc. Saúde coletiva 2016; 21(7): 2147-60.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/rscdauefs.v9i0.3734

Apontamentos

  • Não há apontamentos.