FLORA DA BAHIA: LEGUMINOSAE – VIGNA (PAPILIONOIDEAE: PHASEOLEAE)

Kleber de Araújo Soares

Resumo


Com cerca de 19.500 espécies e 770 gêneros a família Leguminosae apresenta grande diversidade morfológica e importância tanto ecológica quanto econômica (Lewis et al., 2005; LPWG, 2013). Frequentemente utilizada na recuperação de áreas degradadas, devido à sua capacidade de associação com bactérias fixadoras de nitrogênio (Franco & Faria 1997). Dentre as seis subfamílias, Papilionoideae é a maior do grupo, com cerca de 14.000 espécies (LPWG, 2017), e é caracterizada por folhas trifolioladas, cálice gamossépalo e flores papilionóides (Gunn, 1981; Lewis et al., 2005).
Vigna Savi é um gênero que vem sofrendo diversas mudanças devido à problemática na delimitação do grupo (Maréchal et al., 1978; Delgado-Salinas et al. 2011). Vigna teve espécies segregadas em seis outros gêneros: Ancistrotropis, Cochliasanthus, Condylostylis, Helicotropis, Leptospron e Sigmoidotropis (Delgado-Salinas et al., 2011), porém permanece como maior da subtribo, sendo foco deste estudo.
O objetivo desse trabalho foi elaborar um tratamento taxonômico das espécies de Vigna encontradas na Bahia, contribuindo para o conhecimento da diversidade botânica no estado.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2184

Apontamentos

  • Não há apontamentos.