ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO E AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS PORTADORES DE CÂNCER DE BOCA E OROFARINGE ATENDIDOS NA UNIDADE DE ALTA COMPLEXIDADE EM ONCOLOGIA (UNACON) DE FEIRA DE SANTANA – BA

Francine Lima Gonçalves

Resumo


Na região de cabeça e pescoço (CCP), o câncer de boca é o de maior incidência, com 170.900 novos casos no mundo, segundo dados de 2008 (American Cancer Society, 2011). Nos Estados Unidos, em 2013, foram registrados 41.380 novos casos de câncer de boca e faringe, os sítios primários em câncer de cabeça e pescoço (CCP) mais frequentemente acometidos no país (American Cancer Society, 2013).
No Brasil, segundo as estimativas do INCA (Instituto Nacional do Câncer) para o ano de 2014, são esperados 576.000 novos casos de câncer. Seguindo-se o panorama mundial, na região de CP destacam-se os de cavidade oral, com 11.280 casos novos, ocupando o quinto lugar geral na população masculina. Em mulheres, são estimados 4.010 novos casos de cavidade oral, ocupando o 12º lugar (Brasil, 2013).
Nas regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, o câncer de boca apresenta uma incidência ainda maior na população masculina, ocupando o quarto lugar geral, com 7,16 casos novos por 100.000 habitantes (BRASIL, 2013). Durante os últimos anos, a avaliação da qualidade de vida foi reconhecida como um importante medidor de sobrevida em medicina, sobretudo em oncologia. Tais avaliações tem sido feitas com certa regularidade nos tumores malignos da região de cabeça e pescoço, uma vez que nessa localização a ocorrência de neoplasias malignas pode levar ao comprometimento de funções vitais (Abendstein et al, 2005; Vartanian et al, 2006). Nesse sentido, em 1993, o World Health Organization – Quality of Life Group (WHOQOL), definiu qualidade de vida como: percepção individual da posição do indivíduo na vida, no contexto de sua cultura e sistema de valores nos quais ele está inserido e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. O componente emocional tem um papel preponderante na percepção da dor. A avaliação da qualidade de vida pode ser feita por meio de questionários, havendo diversos deles validados na literatura. Dentre eles, um dos mais utilizados é o questionário da University of Washington – Quality of Life Questionnaire (UW-QOL), traduzido como Questionário de Avaliação de Qualidade de Vida da Universidade de Washington (UW-QOL), versão atual (versão 4), por Vartanian et al, 2007.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2298

Apontamentos

  • Não há apontamentos.