DETECÇÃO DE SEQUÊNCIAS PROTEICAS IMUNOGÊNICAS DA NEURAMINIDASE DE Porphyromonas gingivalis ATCC 33277: AVALIAÇÃO IN SILICO COM ALELOS HLA-DQ

Talita Lima Lula

Resumo


A periodontite é uma doença infecciosa de caráter inflamatório, que acomete os tecidos de suporte do dente, podendo levar à reabsorção de osso alveolar, destruição de fibras colágenas e, por fim, perda dentária (LINDHE, 1999). O fator etiológico primário da periodontite constitui-se na presença de microrganismos patogênicos, como Porphyromonas gingivalis, no biofilme dentário (SOCRANSKY & HAFFAJJE, 2005).
P. gingivalis é um bacilo gram-negativo, anaeróbio estrito, imóvel, intensamente proteolítico e forma colônias marrons ou negras em ágar sangue. É um indutor de inflamação, reconhecido como um dos principais patógenos na periodontite crônica (MAYER et al., 2013).
Considerando que os patógenos desenvolvem mecanismos específicos de interação com seus hospedeiros (ALBERTS et al., 2010), o estudo de moléculas sintetizadas por P. gingivalis que contribuam para o desenvolvimento da doença periodontal (TEUGHELS et al., 2011) torna-se relevante. As neuraminidases são proteínas sintetizadas por microrganismos patogênicos, incluindo P. gingivalis, e são consideradas fatores de virulência, contribuindo para sua capacidade de induzir a doença periodontal (LI et al., 2012).
A maioria dos linfócitos T reconhece, como epítopos, peptídeos lineares curtos, pois seus receptores de antígenos (TCR) são específicos para antígenos apresentados por moléculas do MHC presentes na superfície das células apresentadoras de antígeno (APC) e tais moléculas se ligam a peptídeos. Os linfócitos T CD4+ reconhecem peptídeos provenientes de proteínas extracelulares, apresentados pelas moléculas MHC de classe II (ABBAS et al., 2011).
Nos seres humanos, os genes que codificam o MHC localizam-se no braço curto do cromossoma 6. O HLA (MHC humano) de classe II possui três loci de genes, denominados HLA-DP, HLA-DQ e HLA-DR. Cada lócus contém vários genes separados denominados A ou B, que codificam as cadeias α ou β, respectivamente. A nomenclatura do alelo HLA considera o enorme polimorfismo (variação entre indivíduos) identificado por métodos sorológicos e moleculares (ABBAS et al., 2011).
As análises in silico são ferramentas atuais de compreensão de modelos biológicos sem as desvantagens inerentes à utilização de organismos vivos, como possibilidade de contaminação, custo, além das questões éticas. Nesse contexto, o presente trabalho objetivou identificar in silico epítopos candidatos na sequência
proteica da neuraminidase de P. gingivalis ATCC33277, na indução da resposta imune; utilizando, para a análise, alelos HLA-DQ observados na população em estudo.
A identificação de epítopos peptídicos imunogênicos com afinidade para o HLA antecede a síntese das sequências peptídicas para utilização em experimentos com cultivo celular para a compreensão do papel das neuraminidases na patogênese da periodontite crônica, bem como para a sua posterior utilização em ensaios imunoenzimáticos que auxiliem no diagnóstico da doença.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2317

Apontamentos

  • Não há apontamentos.