CARACTERIZAÇÃO MORFOAGRONÔMICA DE ACESSOS DE PHYSALIS ANGULATA L.

André Pinto Lima

Resumo


Physalis angulata L. possui potencialidades que passam pelos setores econômicos, farmacológicos e nutracêuticos, o que a torna uma cultura com grande potencial a ser explorada, mas a carência de informações dificulta o avanço nas pesquisas em recursos genéticos e melhoramento dessa espécie. As pesquisas em recursos genéticos demandam uma grande carga de tarefas essenciais, de tal modo que necessitam de um considerável suporte financeiro e, principalmente exige continuidade (NASS et al., 2001). As dificuldades, existentes, nas atividades com recursos genéticos vegetais e nos programas de melhoramento são evidentes. Assim, é de fundamental importância ao iniciar um programa de melhoramento genético de alguma cultura conhecer a diversidade genética existente, podendo conhecer de maneira mais eficaz as variabilidades genéticas (PEREIRA; PEREIRA, 2006).
A caracterização morfológica é frequentemente a forma mais acessível de quantificar a diversidade genética (SINGH et al., 1991). Essa atividade consiste em fornecer uma série de informações a respeito da variabilidade genética de cada amostra estudada, tornando possível o conhecimento do germoplasma (DAROS et al., 2002). Já a caracterização agronômica tem como base avaliar características desejáveis pelo agricultor e que satisfaçam o mercado consumidor (FABRI, 2009). A caracterização morfoagronômica é realizada com base em caracteres que sejam de fácil detecção e mensuração, possuam alta herdabilidade e que sofram pouca influência ambiental (COSTA et al., 2009).
Portanto, o presente trabalho teve por objetivo caracterizar a variabilidade genética de acessos de Physalis angulata L., por meio de descritores morfoagronômicos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2349

Apontamentos

  • Não há apontamentos.