ESPORTES NA FEIRA: identidades, complexidades, história e apropriação social (1950-1970)

Diego da Silva Leal Diniz

Resumo


Este estudo integra o Projeto de Pesquisa “Feira de Santana real, possível, imaginária ou invisível: as imagens, o olhar e os discursos da saúde pública, do urbanismo e da cultura sobre a cidade e a identidade ‘feirense’ (1900-2012)”, vinculado ao Núcleo de Estudos da Contemporaneidade (NUC-DCHF) da Universidade Estadual de Feira de Santana, e fez um resgate histórico da cidade buscando uma identidade feirense” neste caso dentro do foco da pesquisa, no caso, o esporte, dentro do período 1950-1970.
Evidencia-se a época da gênese do que hoje é a cidade, que ocorreu a partir da segunda metade do século XVIII por conta da passagem dos tropeiros pela localidade que se ligavam com Minas Gerais, Piauí, Pernambuco, o alto sertão baiano, tendo como destino ao Recôncavo Baiano, em Cachoeira, onde era possível realizar atividades mercantis com produtos da região e de origem europeia. Por conta deste trajeto, uma localidade tornou-se ponto de encontro, local de descanso do gado, conhecida como Sant’anna dos Olhos D’água. (FREITAS, 1998).
Assim, diante da grande movimentação foi iniciada uma feirinha, que influenciou a fazenda a elevar-se à condição de vila, sendo denominada Vila Arraial de Feira de Sant’anna (BAHIA, 1986). Com o passar do tempo, Feira de Santana evolui e se transforma, vira um referencial comercial, político, geográfico e cultural, que segue até os dias atuais.
Assim, muitos anos antes do início da industrialização, a cidade crescia em meados do século XX e se destacava como importante centro comercial atraindo população de toda parte do país.
Por conta desta condição, boa parte da identidade cultural que se desenvolveu na cidade sofreu diversas influências, fazendo com que a cultura de Feira de Santana
estivesse sempre em constante transformação, pela introdução de diferentes manifestações culturais, dentre elas o esporte.
Sabe-se que o esporte fora utilizado como meio de transformação social e civilidade por uma parcela da sociedade e reconhecido como símbolo da modernidade, por isso estas questões influenciaram diretamente não somente na construção da identidade social e cultural brasileira, mas também na baiana e feirense (CAFÉ, 2013). O esporte desenvolveu-se na sociedade como forma de expressão de diversas culturas e tornou-se símbolo de modernidade, porém não ainda reconhecido como relevante para compreensão da sociedade (MELO, 1997). Têm-se conhecimento da função que o esporte tinha para o país, que era contribuir para o progresso e educação dos jovens, daí a justificativa do interesse e apoio do governo (JUNQUEIRA, 2004). Sobre esta temática existem estudos das suas influências no Brasil e na Bahia, porém informações sobre o contexto de Feira de Santana é escasso ou inexistente.
Portanto, é necessário questionar e investigar como o esporte e as modalidades esportivas foram introduzidos em Feira de Santana e a identidade dos atletas profissionais e amadores, bem como reconhecer quem foram os personagens que encabeçaram movimentos esportivos e quais entidades foram responsáveis por fomentar o esporte na cidade.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.