As abelhas (Hymenoptera:Apidae) e as plantas fontes de seus recursos em uma área de cerrado da Chapada Diamantina

Guilherme Pereira de Jesus

Resumo


Abelhas participam de interações mutualísticas com plantas, onde as primeiras
obtém recursos necessários para sua sobrevivência e as plantas tem acesso a vetores
para a dispersão de seus gametas masculinos, e consequente maximização da
hetorozigose (Roubik, 1989). As necessidades de uma população constituem o nicho,
definido por Hutchinson como um hipervolume n-dimensional, onde as dimensões são
condições ambientais e recursos, definindo os requerimentos para uma população de
uma espécie persistir (Laroca, 1995). Os recursos alimentares usados pelas populações
de abelhas apídeas podem ser pólen, nectar ou óleo (Roubik, 1989).
Pesquisas em cerrado são importantes, pois trata-se de um bioma que cobre
grande extensão do Brasil, estando sob uma diversidade de condições refletidas em
grande variabilidade fitofisionômica e climática. No entanto, trabalhos realizados nesse
bioma sobre comunidades de abelhas e os recursos florais que utilizam concentram-se
na região Sudeste do Brasil, especialmente nos estados de São Paulo (Pedro et al., 1991;
Andena, 2005; Nogueira-Ferreira et al., 2007) e Minas Gerais (Silveira, 1989; Pereira,
2015). Alguns levantamentos foram feitos na região central do bioma Cerrado (Vieira et
al., 2008; Lotchenko, 2014). Há grande lacuna no conhecimento cientifico sobre os
recursos alimentares usados pelas abelhas nas porções de Cerrado que se estendem pelo
Nordeste do Brasil, com poucos estudos realizados em enclaves de cerrado na Chapada
Diamantina (Martins, 1995). Diante dessa escassez de informações, pretendeu-se
realizar um levantamento sobre as fontes de recursos florais usadas pelas populações de
abelhas em uma área de cerrado na Chapada Diamantina, Bahia, bem como analisar a
amplitude dos nichos das espécies mais abundantes e os níveis de sobreposição dos
nichos tróficos entre estas espécies de abelha.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2360

Apontamentos

  • Não há apontamentos.