OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DAS ENZIMAS LACASE E MANGANÊS PEROXIDASE POR PLEUROTUS SAJOR-CAJU EM RESÍDUO DE SYAGRUS CORONATA

Jéssica Santana dos Santos

Resumo


Atualmente vem sendo muito utilizado resíduos agroindustriais como substratos em bioprocessos, uma excelente alternativa, tendo em vista o baixo custo desses substratos, além de resolver problemas ambientais gerados pelo descarte inapropriado desses resíduos.
O gênero Pleurotus é relato como sendo eficientes colonizadores e degradadores de lignoceluloses. Estes fungos realizam a degradação enzimática da porção lignocelulósica dos substratos pela elaboração das enzimas como lacases, manganês peroxidases e lignina peroxidases que estão envolvidas na degradação de ligninoceluloses (Qinnghe et al., 2004; Palmieri et al., 2000). Os mesmos formam um grupo altamente degradativo que atuam sobre constituintes maiores de resíduos ligninocelulósicos, como a celulose, a hemicelulose e a lignina (Shishido, 1992). Muitos destes microrganismos são capazes de fazer a bioconversão desses substratos lignocelulósicos em compostos de fácil assimilação para o seu metabolismo, onde as enzimas hidrolíticas tem papel fundamental nessa bioconversão, e agem conjunta e sinergisticamente na formação de um complexo com várias enzimas (Valasková e Baldrian, 2006). Atualmente, estas enzimas são utilizadas em várias aplicações industriais e a demanda por enzimas mais estáveis, altamente ativas e específicas tem crescido rapidamente. Neste contexto, a importância dessa pesquisa se dá pela vantagem ambiental da conversão de resíduos agroindustriais e na produção enzimática por fungos. A utilização de resíduos agroindustriais representa uma alternativa para as indústrias de biotecnologia obterem enzimas hidrolíticas e oxidativas com um custo mais baixo em relação às enzimas que estão no mercado.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2363

Apontamentos

  • Não há apontamentos.