DO GIRINO À VOCALIZAÇÃO: ANUROS DA CAATINGA E MATA ATLÂNTICA COMO O VENTO INTERFERE NA VOCALIZAÇÃO DOS ANUROS?

Juliane Santos Silva

Resumo


Comunicação é uma necessidade básica para todos os seres vivos, pois através da comunicação ocorrem as interações entre os indivíduos. Os anfíbios anuros podem se comunicar por sinais visuais, químicos, acústicos e táteis, mas a comunicação acústica é a mais utilizada entre eles (WELLS, 2007). Tais animais possuem grande diversidade de vocalizações, que são emitidas para diversas funções (WELLS, 2007). O canto de anúncio é um dos mais utilizados e tem função de atrair fêmeas coespecíficas para reprodução, atrair machos para um coro e mostrar que determinado sítio de vocalização está ocupado por um macho (WELLS, 2007). É através do canto de anúncio que o macho e a fêmea interagem na corte, e os rivais resolvem disputas por fêmeas, evitando confronto direto (DAWKINS 1989). Esse tipo de canto, por apresentar uma série de características específicas, também é importante do ponto de vista taxonômico e tem auxiliado na determinação de espécies (HEYER & JUNCÁ, 2003; BERNAL et al, 2004). Nos anuros, as estratégias usadas para a reprodução derivam de aspectos fisiológicos, morfológicos e comportamentais (DULLMAN & TRUEB, 1986; POMBAL & HADDAD, 2005), adaptadas às condições sociais e ambientais. Entre essas estratégias, a vocalização se torna a forma predominante de comunicação entre os anfíbios anuros (WELLS, 1977). Entretanto, a propagação do sinal acústico pode sofrer influências que interferem na estrutura do sinal, causando perdas de informações das características acústicas. Fatores como excesso de atenuação (perda maior que esperado da amplitude sonora) e degradação (modificações da estrutura do sinal acústica). As variações na estrutura do sinal que se durante sua transmissão, não permitirá que o receptor faça a discriminação necessária tornando a comunicação acústica ineficiente (WILEY & RICHARDS, 1978). Estruturas da vegetação (galhos, folhas, troncos) podem ser um dos fatores que afetam a propagação, a vegetação pode atuar como obstáculos, fazendo com que às ondas sonoras sejam atenuadas e degradadas . Assim, a vegetação pode ser uma pressão seletiva que atua na especialização dos sinais acústicos, como sugerido por Morton (1975), para ele as espécies adaptam seus sinais acústicos a estrutura da vegetação do ambiente onde vivem, isso foi denominado Hipótese de Adaptação Acústica. Outras características ambientais, como temperatura e vento, também são considerados como fatores que agem na atenuação e degradação do sinal diminuindo a eficiência do canto de anúncio (WILEY & RICHARDS, 1978). O ruído causado pelo vento pode também acabar competindo com o canto das espécies, causando o mascarando do canto (LANGEMANNET A. 1998; RICHARDS & WILEY, 1980). Assim, o nosso estudo visa analisar e descrever a influência do vento, no canto de anúncio de duas espécies de anuro Scinax montivagos e Scinax x-signatus.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2364

Apontamentos

  • Não há apontamentos.