O GÊNERO TRACHELOMONAS (EUGLENOPHYTA) DOS MUNICÍPIOS DE SÃO SEBASTIÃO DO PASSÉ, CANDEIAS, MATA DE SÃO JOÃO, POJUCA E SÃO FRANCISCO DO CONDE, REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR, BAHIA, BRASIL.

Adones de Jesus Santos Pereira

Resumo


Euglenophyta é uma das muitas divisões de microalgas existentes, englobando atualmente 40 gêneros e aproximadamente 800 espécies (Parra & Bicudo, 1995), embora segundo Norton et al. (1996) há estimativa de 2 mil espécies pertencentes à divisão.
Trachelomonas Ehrenberg emend. Deflandre é o gênero mais representativo da divisão Euglenophyta, com 377 táxons aceitos atualmente (Guiry & Guiry 2016). A maioria dos táxons são referidos para ambientes de água doce (Bourrelly, 1970), embora também existam espécies marinhas (Leedale, 1967).
O gênero inclui algas de vida livre e hábito solitário, caracterizadas por possuir célula com um envelope rígido e mucilaginoso denominado de lórica, apresentando um poro no polo anterior do qual emerge o flagelo. A lórica apresenta diferentes formatos e padrões de ornamentação, os quais são empregados na taxonomia do grupo (Tell & Conforti, 1986), e uma coloração castanho-amarelada, ocasionada pela impregnação de compostos férricos e de manganês (Leedale, 1975; Dunlap et al. 1983).
Trabalhos taxonômicos de microalgas no estado do Bahia ainda são escassos, diante da complexidade de suas bacias de drenagem e da diversidade de ecossistemas aquáticos continentais. Com relação ao gênero Trachelomonas, todas as informações disponíveis estão restritas aos seguintes trabalhos: Fuentes et al. 2010; Santana, 2011; Severiano et al. 2012 e Alves-da-Silva & Menezes, 2015, embora os autores mencionados não forneçam descrição e ilustrações em seus trabalhos que auxiliassem a confirmação dos táxons, e a um estudo taxonômico (Pereira, 2016), nos quais foram referidos 45 táxons.
Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo a realização de um estudo taxonômico das microalgas pertencentes ao gênero Trachelomonas ocorrentes em corpos d’água dos municípios de São Sebastião do Passé, Candeias, Mata de São João, Pojuca e São Francisco do Conde, Região Metropolitana de Salvador, Bahia, Brasil, de modo a ampliar o registro de espécies para a Bahia e, consequentemente, para o Brasil.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2376

Apontamentos

  • Não há apontamentos.