DETECTAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DE ADESINAS DAS AMOSTRAS DE Escherichia coli ISOLADAS DE BEZERRO COM DIARRÉIA EM CRUZ DAS ALMAS, BAHIA.

Bruna de Jesus Mamona

Resumo


Escherichia coli é uma bactéria que coloniza o trato intestinal de vertebrados. Essa colonização pode, em alguns casos, levar à colibacilose, doença que apresenta como principal sintoma a diarréia. Pertencente à família Enterobacteriaceae é uma bactéria gram-negativa com formato de bastonete, anaeróbia facultativa, e tem como temperatura ideal para seu crescimento 37°C (Almeida, 2013; Pereira, 2016).
A patogenicidade de E. coli está relacionada a vários fatores de virulência, e a presença destes é utilizada para a classificação das cepas patogênicas (Almeida, 2013). E. coli enterotoxigênica (ETEC) comumente é a causadora de diarréia em bezerros neonatos devido à sua eficiência em colonizar o trato intestinal do animal através da aderência das fímbrias e liberação de enterotoxinas (Reck, 2009).
As adesinas ou fímbrias, um dos fatores de virulência, são moléculas proteicas localizadas na superfície da bactéria que promovem a adesão às células do hospedeiro (Almeida, 2013). As fímbrias podem ser classificadas em manose resistentes (MR) quando a hemaglutinação ocorre na presença do carboidrato D-manose ou em manose sensíveis (MS) quando a hemaglutinação ocorre na ausência do carboidrato D-manose (Almeida, 2013). Os tipos de adesinas que ocorrem com freqüência em cepas de ETEC que colonizam o trato intestinal de bezerros, são: K99 ou F5, F17 e F41 (Salvatori et al., 2003)
Dessa maneira, o trabalho teve como objetivo detectar e identificar as adesinas presente nas amostras de E. coli coletadas de bezerros com diarréia na Bahia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2386

Apontamentos

  • Não há apontamentos.