BANCO DE SEMENTES DO SOLO EM FLORESTA CILIAR DO RIO JACUÍPE (BACIA DO PARAGUAÇU), FEIRA DE SANTANA, BAHIA, BRASIL

Robson de Jesus Santos

Resumo


As matas ciliares são fundamentais para o equilíbrio ecológico, oferecendo proteção para as águas e o solo, promovendo a preservação da biodiversidade e mantença dos recursos hidrológicos (Marmontel & Rodrigues, 2015). Segundo Silva et al. (2015) são áreas de transição, pois demarcam espacialmente os ecossistemas terrestre e aquático, pela notória vegetação, onde estão inseridas.
Caracteriza-se como banco de sementes do solo conjunto de sementes não emergidas do mesmo que, por ventura, possa substituir árvores perenes num processo natural ou não de sucessão vegetal (Alvarenga et al., 2006). As sementes existentes no solo viável, ininterruptamente acrescido pela chuva de sementes retrata o banco de sementes (Scherer & Jarenkow, 2006).
Christoffoleti & Caetano (1998), afirmam que o banco de sementes, tem como objetivo primordial promover o ciclo de vida das espécies anuais existente na flora em uma determinada área e em um determinado momento, oferecendo mecanismo para sua continuação.
Os mecanismos de dormência são responsáveis pela permanência de sementes no solo por diferentes períodos, permitindo a emergência de plântulas de forma espaçada sob condições favoráveis, o que resguarda a dispersão e perpetuação da espécie vegetal (Mori et al., 2012). Para Torres (2008), diferentes formas de bloqueio de germinação (mecanismos de dormência) evoluíram com o passar do tempo, isso de acordo com a heterogeneidade de climas e habitats proporcionados para determinada espécie.
O conhecimento do banco de sementes do solo é importante para recuperação de áreas degradadas, tendo como principal vantagem à possibilidade de restabelecer uma vegetação que se assemelhe as espécies nativas de um determinado local. A retirada das amostras em locais próximos ou até mesmo da área estudada pode tornar o processo mais eficiente e de baixo custo, sendo que, o custo necessário para recuperação de áreas degradadas, através de reflorestamento, varia significativamente (Peres et al., 2009).
Partindo da premissa de conhecimento sobre composição florística do banco de sementes, tem-se um importante instrumento para que se possa entender a evolução de uma determinada espécie, sendo possível assim, realizar interferências no processo de regeneração natural (Costa et al., 2013).
O objetivo deste trabalho foi conhecer a composição e densidade do banco de sementes do solo da mata ciliar do Rio Jacuípe (Bacia do Paraguaçu).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2390

Apontamentos

  • Não há apontamentos.