COMPARAÇÃO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA E DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE FOLHAS E CAULE DE Lippia alnifolia Mart. & Schauer.

Horácio Freitas Bomfim

Resumo


Lippia alnifolia Mart. & Schauer, conhecida também como pedrécio, alecrim de
vaqueiro, alecrim do mato, tem uso popular no tratamento de feridas ou queimaduras de
pele. Também é empregado na forma de tintura para uso tópico, com a mesma
finalidade, ou como gargarejo e bochecho nas infecções de garganta e da boca, ou em
lavagens vaginais contra infecções. Essa mesma tintura, usada na forma de compressas
locais, é muito eficiente no tratamento de acne, sarna infectada, panos brancos,
impingem, caspas e mau cheiro dos pés, axilas e virilhas (Agra et al., 2008).
Em estudos da atividade antioxidante realizado pelo nosso grupo de pesquisa
com os extratos metanólicos das folhas e dos caules de Lippia alnifolia, utilizando o
método de sequestro de radicais livres DPPH, a espécie demonstrou um excelente
potencial antioxidante, com CE50 de 38,65 e 38,00 μg/mL, respectivamente (resultados
não publicados). Quando comparado com outra espécie do mesmo gênero, como é o
exemplo de Lippia graveolens com CE50 entre 152 a 207 μg/mL (Martínez-Rocha, et
al., 2008), observa-se o quanto foram expressivos os resultados encontrados,
demostrando a importância da continuidade dos estudos com a espécie Lippia alnifolia.
Deste modo a realização de novos testes utilizando as frações hidrometanólica e
clorofórmica dos extratos das folhas e dos caules, se faz necessário para a seleção da
fração mais ativa para posterior identificação e isolamento dos metabolitos ativos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2479

Apontamentos

  • Não há apontamentos.