EXPERIÊNCIA DA DOR PARA FAMILIARES DE CRIANÇAS COM DOENÇA FALCIFORME

Jéssica da Silva Cruz

Resumo


A dor na Doença Falciforme (DF) é o resultado da obstrução da microcirculação
causada pelo afoiçamento das hemácias, sendo considerada a manifestação mais dramática do
quadro da doença (LOBO; MARRA; SILVA, 2007). Nas crianças a dor é a primeira
manifestação da doença e inicia-se nos pés e mãos sendo denominada de dactilite ou síndrome
mão-pé (BRASIL, 2006). Dias e outros (2013) identificaram que as consequências da dor na
vida infantil exercem importante impacto na vida cotidiana, incluindo o lazer, a vida escolar,
o crescimento e o desenvolvimento (SILVA; BELLATO; ARAÚJO, 2013). Segundo Silva,
Bellato e Araújo (2013), a DF provoca um grande impacto sobre a vida da família,
especialmente quando se trata de crianças. Sendo assim, o objeto desse estudo é a “a
experiência do familiar que vivencia a dor na criança com DF”, onde buscaremos responder a
seguinte questão de pesquisa: como é a experiência do familiar que vivencia a criança
sentindo dor secundária a DF? O objetivo geral é “Compreender a experiência da família que
vivencia as crises dolorosas secundárias a DF na criança” e o objetivo específico “Conhecer
as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos cuidadores familiares no momento das crises
álgicas decorrentes da DF na criança”. Esse estudo se justifica devido a abordagem escassa de
estudos sobre a temática. Estudos dessa natureza podem contribuir para o aperfeiçoamento
sobre a temática com vistas a orientar os familiares a identificarem precocemente as
manifestações de dor, assim como as estratégias utilizadas para seu enfrentamento,
culminando com a redução do sofrimento. Além de que a identificação precoce possibilitará
aos envolvidos no cuidado à criança a adotarem medidas preventivas de agravamento da dor.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2505

Apontamentos

  • Não há apontamentos.