ANÁLISE DA DIMENSÃO INTERAÇÃO FAMILIAR E ENTE DA ECONF E A ATUAÇÃO DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL NO NÍVEL DE CONFORTO DE FAMILIARES QUE POSSUEM UM ENTE HOSPITALIZADO EM UTI DE UM HOSPITAL PÚBLICO EM FEIRA DE SANTANA – BAHIA.

Bruna Luiza Pinheiro de Carvalho

Resumo


Sabe-se que as unidades hospitalares de pessoas em estado crítico de saúde, de
modo geral, são locais onde se internam pessoas doentes com risco de vida e que
necessitam de assistência médica e de enfermagem ininterruptas (OLIVEIRA, 2002).
Diante disso, os momentos vivenciados nesse contexto tornam-se comumente
difícil para a família, uma vez que esta pode experenciar distintos sentimentos que
envolvem não somente o seu familiar hospitalizado, como também as suas perspectivas
de vida. Geralmente são levantados afetos como ansiedade, expectativa e/ou frustração,
por conta da vulnerabilidade do quadro dos pacientes (FRIZON; NASCIMENTO;
BERTONCELHO; MARTINS, 2011).
Levando em consideração que a família é de total importância nas questões
ligadas ao processo saúde/doença do ente e que ocorre uma ruptura deste segmento
quando uma pessoa, por diferentes motivos, necessita hospitalizar-se numa UTI,
(FRIZON ET AL., 2011) desponta-se a precisão de uma equipe multiprofissional a fim
de atender às demandas do paciente e da sua família.
Mediante a essas características, Freitas (2011) construiu e validou uma escala a
fim de avaliar o nível de conforto vivenciado pelos familiares frente à hospitalização de
um ente em Unidade de Terapia Intensiva. A Escala de Conforto para Familiares de
Pessoas em Estado Crítico de Saúde (ECONF) é composta por 55 itens divididos em
quatro dimensões: Segurança (20 itens), Suporte (21 itens), Interação consigo e com o
cotidiano (8 itens), Interação familiar e ente (6 itens). A dimensão Interação
familiar e ente representa o conforto correlacionado ao fato de estar junto do ente, poder
desfrutar da interação estabelecida entre eles, conceber a possibilidade de vê-lo
recuperado e a satisfação do ente com o atendimento prestado (FREITAS, 2011).
Tendo em conta a indispensável presença de uma equipe multidisciplinar
empenhada efetivamente em promover o conforto aos familiares durante o processo de
hospitalização, o presente estudo almejou analisar o nível de conforto de familiares no
contexto da Unidade de Terapia Intensiva a partir das relações estabelecidas entre os
pacientes e à família, ressaltando a importância da participação assídua dos profissionais
de saúde neste âmbito.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.