ASSOCIAÇÃO ENTRE O NÍVEL DE DOR E ATIVIDADES HABITUAIS E NECESSIDADES FISIOLÓGICAS MODIFICADAS POR SUTURAS PERINEAIS DECORRENTES DE TRAUMAS NO PARTO VAGINAL

Maria Alice Leony Paiva

Resumo


A atenção às mulheres durante o processo parturitivo, há tempos vem sendo marcada por intensa medicalização. As mulheres são submetidas a rotinas e cuidados tais como o uso indiscriminado e rotineiro da episiotomia, de ocitocina intravenosa, ao jejum oral prolongado, a restrição ao leito obstétrico, estes com claros resultados negativos sobre a dinâmica do curso clínico do parto (Santos; Pereira, 2012). A prática da episiotomia e da episiorrafia, parecem ser os procedimentos que causam maiores desconfortos no pós-parto (Beleza et al., 2012).
A mulher com episiotomia tem uma experiência maior de dor e está sujeita a maior perda sanguínea, hematoma, infecção, deiscência, disfunção sexual, quando comparada com outros graus de trauma perineal (Pitangui et al., 2009). Francisco et al. (2011) trazem que, a presença da dor na mulher dificulta o exercício da maternidade, como a amamentação e o cuidado ao recém-nascido, além de interferir no desenvolvimento de atividades cotidianas, como dormir, movimentar-se, urinar, evacuar, higienizar-se e se alimentar.
O que se percebe é que há uma maior preocupação com a dor do período do parto, trabalho de parto e pós-cesárea, enquanto que a dor perineal pós-parto vaginal e pós-episiotomia são normalmente negligenciadas pelos profissionais de saúde na prática de assistência (Pitangui et al., 2009).
A partir do levantamento do estado da arte em bases de dados sobre o nível de dor associado com atividades habituais e necessidades fisiológicas modificadas nas puérperas pela presença de episiorrafia ou perineorrafia decorrente de lacerações perineais, percebeu-se a escassez de estudos tanto a nível nacional quanto internacional. Diante do exposto, questiona-se: há associação entre o nível de dor perineal com as atividades habituais e necessidades fisiológicas que foram modificadas nas puérperas pela presença de episiorrafia ou perineorrafia decorrente de lacerações perineais? Por isso, esse estudo justifica-se pela necessidade de caracterização da dor, decorrente da laceração e episiotomia, e suas implicações nas atividades diárias das puérperas para que o profissional de saúde possa intervir e prestar uma assistência de qualidade à essa puérpera.
Tem como objetivo geral: verificar a associação entre o nível de dor perineal com as atividades habituais e necessidades fisiológicas que foram modificadas nas puérperas pela presença de episiorrafia ou perineorrafia decorrente de lacerações perineais no parto vaginal em uma instituição pública de Feira de Santana, Bahia. Tem como objetivos específicos: mensurar o nível de dor decorrente de episiorrafia ou perineorrafia decorrente de lacerações perineais no pós-parto imediato; descrever a associação da dor com o tipo de trauma perineal decorrente do parto; analisar a associação entre o nível de dor perineal com as atividades habituais das puérperas que foram modificadas pela presença de episiorrafia ou perineorrafia decorrente de lacerações perineais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2587

Apontamentos