VIOLÊNCIA FÍSICA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE FEIRA DE SANTANA-BA E ESTRATÉGIAS DE CONSTRUÇÃO DA PAZ

Renata Sampaio Santana

Resumo


Violência, agressão, bullying, tortura, repressão, chantagem, entre outros, são termos utilizados quando se aborda o tema violência no cotidiano, inclusive na escola. A violência é um problema de saúde pública importante e crescente no mundo, com sérias consequências individuais e sociais, particularmente para os jovens, que aparecem nas estatísticas como os que mais morrem e os que mais matam (LOPES NETO, 2005).
Esta merece atenção especial quando atinge o espaço escolar, que é um local de formação social dos alunos, de fortalecimento da identidade e de construção de cidadania (CARDIA, 2006). Estudos detectaram ser a escola o terceiro local de maior ocorrência de casos de violência praticados contra crianças e adolescentes no município de Feira de Santana, aparecendo nos primeiros lugares, o domicílio e a via pública (SANTANA, 2006).
Assim, partimos do questionamento de como se configura a violência física nas escolas públicas municipais de Feira de Santana–BA, definindo como objetivo geral: compreender a violência física nas escolas públicas municipais de Feira de Santana-BA, na perspectiva de sistematização de estratégias para a construção de territórios de paz. E como objetivos específicos: identificar as faixas etárias e sexo mais vulneráveis para a vitimização da violência física; descrever as características dos agressores; identificar fatores associados com a prática da violência física nas escolas e construir propostas de redução da violência e construção da paz juntamente com a escola, a comunidade e o poder público.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.2671

Apontamentos

  • Não há apontamentos.