ESTUDO DA OCORRÊNCIA DE ALGAROBAS (Prosopis Juliflora) POR MEIO DE DADOS DE SENSORIAMENTO REMOTO NO POLO DE JEREMOABO-BA.

Nerivaldo Afonso Santos

Resumo


A introdução da algaroba na região semiárida do Brasil ocorreu por meio de política governamental, cuja principal ideia disseminada foi a do alto potencial forrageiro (GOMES, 1961). A origem da planta é peruana e as primeiras plantações, com apenas quatro árvores, decorreram no estado de Pernambuco, em 1942. Posteriormente houve uma disseminação das algarobas para diferentes estados, devido a adaptação da planta às condições ambientais semiáridas brasileiras e a utilidade delas na dieta animal. As primeiras translocações de espécies de uma região a outra do planeta foram intencionais e buscavam, basicamente, suprir necessidades agrícolas, florestais e outras de uso direto (LEÃO et al., 2011), assim também como ocorreu com a algaroba.
No semiárido da Bahia, averiguou-se a intensa propagação das matas de algaroba no município de Jeremoabo, nesse predomina o clima tropical semiárido, com precipitação média anual de 300 mm a 500 mm. O estudo em desdobramento é realizado em área com indícios fortes de estágios avançados de degradação, o que lhe confere caráter de relevância no âmbito das discussões sobre desertificação.
Este estudo objetivou mapear as áreas de ocorrências de matas de algaroba no Pólo de Jeremoabo, através das séries temporais de imagens de satélite, bem como subsidiar os estudos sobre os impactos e a gestão ambiental.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i20.3216

Apontamentos

  • Não há apontamentos.