FATORES PREDISPONENTES PARA O INSUCESSO DA CATETERIZAÇÃO INTRAVENOSA PERIFÉRICA EM UNIDADE DE CLÍNICA MÉDICA PEDIÁTRICA

Shirlene Cerqueira dos Santos

Resumo


A cateterização intravascular periférica (CIP) constitui uma das intervenções mais frequentemente executadas em pacientes hospitalizados. Para sua consecução, é necessário o desenvolvimento de competência clínica e habilidade técnica dos profissionais de enfermagem, a fim de que sejam preparados para implementar os variados aspectos da terapia intravascular (AVELAR et al., 2010).
A obtenção do acesso vascular periférico na primeira tentativa de punção e a permanência do cateter até o término da indicação da terapia intravenosa devem ser considerados padrão ouro para a sua implementação. Por isso, a manutenção do cateter intravenoso periférico pelo maior tempo possível, livre de complicações e enquanto for indispensável, é um fator importante para minimizar o desconforto da criança e a necessidade de novas punções (AVELAR; PETERLINI; PEDREIRA, 2013).
Entretanto, em alguns momentos, os trabalhadores de enfermagem atuantes em unidades pediátricas podem se deparar com certas condições que podem dificultar a CIP, demandando várias tentativas para a inserção do cateter na rede vascular da criança ou mesmo não conseguindo estabelecer uma via para o início da terapia intravenosa. Esta situação causará desconforto e estresse tanto para a criança quanto para seu familiar acompanhante.
A prevalência do insucesso, conforme dados de pesquisas nacionais e internacionais varia de 4,2% a 47,8% (RIKER, et al., 2011; NEGRI et al., 2012; PETERSON et al., 2012; REIGART et al., 2012; AVELAR; PETERLINI; PEDREIRA, 2013). Entretanto, ainda permanecem não esclarecidos os fatores que podem contribuir para a ocorrência deste evento em unidades pediátricas.
Diante disto, fez-se o seguinte questionamento: que fatores podem predispor ao insucesso da CIP em crianças hospitalizadas na unidade de clínica médica?
Este estudo teve como objetivo geral, verificar os fatores predisponentes para o insucesso da CIP realizada em crianças hospitalizadas em unidade de clínica médica pediátrica e como objetivos específicos, caracterizar as crianças hospitalizadas com insucesso na CIP quanto ao perfil sóciodemográfico, o motivo de internação, características da CIP e da terapia intravenosa utilizada e descrever a associação entre características da criança, da terapia intravenosa prévia e da CIP atual com a ocorrência de insucesso na inserção do dispositivo intravascular periférico.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/semic.v0i21.3498

Apontamentos

  • Não há apontamentos.