EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA E CIBERATIVISMO: EXPERIÊNCIA DE COLETIVOS DE MULHERES NEGRAS CRESPAS E CACHEADAS NO FACEBOOK E EM SALVADOR/BA

Dailza Araújo Lopes, Angela Figueiredo

Resumo


O presente estudo tem como objetivo descrever a forma que coletivos de mulheres negras crespas e cacheadas, tem desenvolvido e fortalecido a educação antirracista através do ciberativismo, como uma nova forma de mobilização política e participação social. Para tanto, procede-se a metodologia de Análise de Discurso, nos seguintes grupos do Facebook: Coletivo Vício Cacheado, Coletivo de Cacheadas e Crespas de Salvador e Coletivo da Marcha do Empoderamento Crespo – MEC, acrescendo-se a observação participante nos eventos realizados por esses coletivos na cidade de Salvador/BA. Resulta-se a observância de que mulheres negras usam as redes sociais, Facebook, como espaço de mobilização e incentivo à aceitação dos cabelos crespos/naturais, em
diálogo com o empoderamento feminino, como forma de combate ao racismo, fomentando ações e estratégias para construção de políticas públicas que favoreçam a melhorias das condições objetivas e subjetivas para a população negra.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/sitientibus.v0i59.4883

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Versão Impressa 0101-8841