Imagem do rádio

a infinita sensibilidade do ouvir

Autores

  • Antonio Argolo Silva Neto

DOI:

https://doi.org/10.13102/dci.v1i1.9618

Resumo

Pesquisa publicada no livro “Imagem do Rádio”. Aborda a audição radiofônica como um campo privilegiado, que ao saturar apenas um órgão do sentido (o ouvir) potencializa o homem em sua amplitude simbólica. A necessidade do ouvir aproximou a audiência brasileira ao mundo à custa da “radiodifusão internacional” via Ondas Curtas. Estava no ar a Guerra Fria transmitindo no rádio, em português, as questões políticas, ideológicas e culturais polarizadas nos esforços do conflito. Este objeto de análise inicia com o fluxo das emissões políticas, décadas de 70 e 80. À frente o universo se amplia com o sinal de outras rádios internacionais que não atuaram do discurso de combate, permitindo o contraponto das informações. No Brasil há uma audiência segmentada nesse tipo de escuta por questões culturais e afetivas. Ao delimitar esse conjunto de ouvintes o livro pontua o sentido da audiência e faz uma análise iconográfica dos cartões QSLs recebidos. As imagens permitem identificar as emissoras sintonizadas, a sua radiografia, suas pautas, formas de propagandas e construções simbólicas entre emissor/receptor. Esse quadro radiofônico apresenta percepções das formas culturais elementares ao homo symbolicus.

Biografia do Autor

  • Antonio Argolo Silva Neto

    Antonio Argolo Silva Neto é Professor, graduado em Pedagogia, especialista em Antropologia com Ênfase em Cultura Afro-Brasileira (ODEERE UESB, Jequié/BA); Mestre em Desenho, Cultura e Interatividade (UEFS, Feira de Santana. BA). 

    dxargolo@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

2023-05-05 — Atualizado em 2023-05-08

Versões