PERFIL DE PACIENTES CADASTRADOS NO HIPERDIA: CONHECENDO O ESTILO DE VIDA

Autores

  • Fernanda Oliveira da Silva Universidade do Estado da Bahia
  • Cleuma Sueli Santos Suto Universidade do Estado da Bahia
  • Laura Emmanuela Lima Costa Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.13102/rscdauefs.v5i1.1007

Palavras-chave:

Diabetes Mellitus, Hipertensão, Atenção Básica

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever a população atendida pelo HIPERDIA e avaliar o conhecimento dos pacientes sobre diabetes e hipertensão arterial, verificando mudanças no estilo de vida após ingresso no programa. Trata-se de uma pesquisa descritiva e explicativa, com abordagem qualitativa e quantitativa, realizada com 52 pacientes. Obteve-se alta prevalência de idosos e de sujeitos que afirmaram ter conhecimento sobre a patologia e suas complicações; 99% realizavam tratamento medicamentoso. Concluiu-se que, entre as mulheres, o sedentarismo é menor, porém os homens apresentaram modificações significativas nos hábitos alimentares após ingresso no programa, com redução de gordura (77,8%) e sal (18,8); encontrou-se Índice de Massa Corporal e circunferência abdominal acima dos padrões normais e 80% das mulheres com sobrepeso. Recomenda-se, de acordo com os achados, que a equipe de saúde da família realize mais ações de promoção de saúde e de incentivo a pratica de atividade física, assim como melhora nos registros em prontuário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Bersusa AAS, Pascalicchio ÁE, Pessoto UCO, Loureiro MM. Acesso a serviços de saúde na Baixada Santista de pessoas portadoras de hipertensão arterial e ou diabetes. Rev Bras Epidemiol. 2010;13(3):513-22.

Organização Pan-Americana da Saúde, Ministério da Saúde. Avaliação do Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus no Brasil. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde: 2004. 64 p.

Ohara ECC, Saito RXS. Saúde da família: considerações teóricas e aplicabilidade. 2 ed. São Paulo: Martenare; 2010.

Brasil, Portal de Saúde SUS: HIPERDIA. Brasília: 2012. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/se/datasus/area.cfm?id_area=807>. Acesso em: 25/05/2012.

Silva EL, Menezes EMI. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 3 ed. Rev. Atual. Florianópolis: Laboratório de ensino a distância da UFSC; 2001.

DATASUS [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde (BR) [citado 2012 jul 12]. Número de Diabéticos, Hipertensos e Diabéticos com Hipertensão por sexo, tipo e risco. Agrupado município (Jacobina-BA), período de 01/1999 até 07/2012. Disponível em: <http://hiperdia.datasus .gov. br/>.

Oliveira NB, Lange C. Perfil dos pacientes cadastrados no HIPERDIA da equipe III na Estratégia Saúde da Família do município de Herval-RS. Rev. enferm. saúde, Pelotas (RS). 2011 jan-mar;1(1):91-98.

Lessa Í, Magalhães L, Araújo JMJ, Filho NA, Aquino E, Oliveira M. Hipertensão arterial na população adulta de Salvador (BA). Arq Bras Cardiol. 2006;87(6):747-756.

Lima TM, Meiners MMMA, Soler O. Perfil de adesão ao tratamento de pacientes hipertensos atendidos na Unidade Municipal de Saúde de Fátima, em Belém, Pará, Amazônia, Brasil. Rev Pan-Amaz Saúde. 2010;1(2):113-120.

Borba TB, Muniz RM. Sobrepeso em idosos Hipertensos e diabéticos cadastrados no Sistema HiperDia da Unidade Básica de Saúde do Simões Lopes, Pelotas, RS, Brasil. Rev. enferm. saúde, Pelotas (RS). 2011 jan-mar;1(1):69-76.

Cotta RMM, Batista KCS, Reis RS, Souza GA, Dias G, Castro FAF. et al. Perfil sociossanitário e estilo de vida de hipertensos e/ou diabéticos, usuários do Programa de Saúde da Família no município de Teixeiras, MG. Ciência & Saúde Coletiva. 2009;14(4):1251-1260.

Santos ZMSA, Frota MA, Cruz MD, Holanda SD. Adesão do cliente hipertenso ao tratamento: análise com abordagem interdisciplinar. Fortaleza: 2005.

Marcon RB. Avaliação do estado nutricional de usuários participantes do HIPERDIA em uma ESF. Criciúma, SC: Criciúma; 2010.

Dallacosta FM, Dallacosta H, Nunes AD. Perfil de hipertensos cadastrados no programa Hiperdia de uma unidade básica de saúde. Unoesc & Ciência – ACBS, Joaçaba. jan./jun. 2010;1(1):45-52.

Knuth AG, Bacchieri G, Victora CG, Hallal PC. Changes in physical activity among Brazilian adults over a fiveyear period. Journal of Epidemiology and Community Health 2009 (prelo). IN: Bielemann RM, Knuth AG, Hallal PC. Atividade física e redução de custos por doenças crônicas ao Sistema Único de saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. 2010;15(1):9-14.

Tomazoni T, Siviero J. Consumo de potássio de idosos hipertensos participantes do Programa Hiperdia do município de Caxias do Sul, RS. Rev Bras Hipertens. 2009;16(4):246-250.

Coordenação Nacional de hipertensão e Diabetes – CNHD. Hipertensão arterial e diabetes mellitus: morbidade autoreferida segundo o vigitel, 2009, cadastro de portadores do sis-hiperdia 2010. Brasília (Brasil): Ministério da Saúde, 2011.

Strelec MAAM, Pierin AMG, Junior DM. A Influência do Conhecimento sobre a Doença e a Atitude Frente à Tomada dos Remédios no Controle da Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol. 2003;81(4)343-8.

Zanetti, ML. Biaggi, MV. Santos, MA. Péres, DS. Teixeira, CRS. O cuidado à pessoa diabética e as repercussões na família. Rev Bras Enferm, Brasília. 2008 mar-abr;61(2):186-92.

Santos ZMSA, Frota MA, Cruz M, Holanda SD. Adesão do cliente hipertenso ao tratamento: análise com abordagem interdisciplinar. Texto Contexto Enferm. 2005 Jul-Set;14(3):332-40.

Downloads

Publicado

2016-03-03

Como Citar

Silva, F. O. da, Suto, C. S. S., & Costa, L. E. L. (2016). PERFIL DE PACIENTES CADASTRADOS NO HIPERDIA: CONHECENDO O ESTILO DE VIDA. Revista De Saúde Coletiva Da UEFS, 5(1), 33–39. https://doi.org/10.13102/rscdauefs.v5i1.1007

Edição

Seção

Artigos
Share |