Relações internacionais em Eric Weil

Daniel Benevides Soares

Resumo


Autor de influência kantiana e hegeliana, o tratamento do tema das relações entre os Estados no pensamento de Eric Weil pede que se recorra aos dois grandes filósofos alemães. Partindo de uma analogia com o modo como se dão as relações entre os indivíduos chega-se, em Hegel ao problema do estado de natureza em que se mantêm as relações entre as soberanias nacionais. Kant por sua vez também assinala o problema da tensão belicosa e da ameaça constante em que os Estados se mantêm uns em relação aos outros, propondo, como alternativa uma federação das nações onde possa prosperar um direito cosmopolita aceito por todos seus integrantes. Atento ao conflito entre a moral histórica de um determinado povo e a sociedade do “bem estar social” orientada pela técnica, Weil constata que a guerra não se apresenta como uma solução das divergências entre as nações que proporcione algum ganho histórico efetivo. A guerra, hoje, tornou-se dispendiosa e de resultados contraproducentes para os envolvidos, de modo que, em um cenário onde emergem organismos como a ONU, torna-se premente a pergunta sobre a possibilidade de uma moralidade universalmente válida no quadro conturbado das relações internacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i30.1327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384