CONTRIBUIÇÕES DA INTUIÇÃO BERGSONIANA PARA O CAMPO EDUCACIONAL: O CASO DAS CONVICÇÕES PEDAGÓGICAS

TATIANA CRISTINA DOS SANTOS DE ARAÚJO

Resumo


O presente artigo busca compreender a formação de professores sob a ótica do pensamento bergsoniano, no intuito de subsidiar as reflexões sobre a formação das convicções pedagógicas destes professores, enfatizando a intuição como um fenômeno relevante para esse processo. Para isso, são apresentados os conceitos de liberdade e intuição para o filósofo Henri Bergson. Posteriormente é estabelecida uma relação entre a convicção pedagógica e a intuição na visão deste filósofo. Então, são apontados os principais elementos da convicção pedagógica e as consequências desta para a prática docente. Uma das primeiras reflexões resultantes do esforço em compreender a construção das convicções dos professores consiste na ideia de estimular a reflexão em torno das experiências docentes e das vivências pessoais que repercutem sobre a prática docente. Nota-se a existência de professores que buscam de forma autônoma construir suas próprias posições, refletindo constantemente sobre as suas experiências e a sua vida intelectual. Buscam elaborar suas convicções individuais, pois estas irão nortear sua postura teórica frente à realidade prática. Tal processo reflexivo provoca, sutilmente, a autoformação destes profissionais, consistindo em um movimento interno de reflexão sobre si mesmo, seu saber e fazer pedagógico na relação com o outro.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i37.3524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384