NOTAS ESCLARECEDORAS SOBRE AS TESES DA PSICOLOGIA DE SCHOPENHAUER A PARTIR DA LEITURA DOS COMPLEMENTOS A O MUNDO COMO VONTADE E REPRESENTAÇÃO

André Luiz Simões Pedreira

Resumo


Nosso artigo pretendeu comentar as teses da psicologia de Schopenhauer, a saber, “a estrita distinção entre vontade e conhecimento e a primazia da primeira”, contidas nos Complementos ao Livro Quarto de O Mundo como Vontade e Representação, em seu capítulo 41, intitulado “Sobre a morte e sua relação com o caráter indestrutível de nosso ser em si.” O comentário visou apresentar algumas passagens dos Complementos que asseguram a distinção entre vontade e intelecto, no intuito de fornecer dados que evitem a confusão, a que muitos leitores de Schopenhauer são acometidos, ao confundirem a vontade com o seu fenômeno, a
saber, a vontade humana.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.13102/ideac.v1i39.4578

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


eISSN: 2359-6384