A VERDADE COMO FUNDAMENTO DA FELICIDADE NA OBRA DE SANTO AGOSTINHO

Autores

  • Francisco Romário de Queiroz Silva Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Francisco Clébio Figueiredo Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Resumo

RESUMO: Considerando a importância que os temas sobre a verdade e a felicidade sempre ocuparam no campo da filosofia, bem como a pertinência que ainda nos dias atuais apresenta o pensamento agostiniano, objetiva-se apresentar neste trabalho como Santo Agostinho definiu os conceitos de verdade e felicidade e de que modo ele entendia ser a Verdade o pressuposto para a beatitude. Para tanto, procede-se a uma seleção dos principais textos em que o bispo de Hipona melhor desenvolveu sua compreensão a respeito destes temas, tais como as Confissões, A Trindade, A vida feliz, Solilóquios, A Verdadeira religião, O livre arbítrio, A doutrina cristã, A cidade de Deus e as Retratações. Ao mesmo tempo, a pesquisa está amparada em comentadores de Santo Agostinho como Trapé (2018), Gilson (2010), Maschio (2017) e outros. Desse modo, observou-se que no pensamento agostiniano a Verdade é uma espécie de luz incorpórea que ilumina o homem e à qual deve ele aderir. Essa Verdade ontológica é o próprio Deus bíblico-cristão, o qual, por sua vez, constitui o fundamento para a Vida feliz. O que permite concluir que, para Agostinho, o homem é feliz na medida que conforma sua vida à Verdade, e que somente a alcançam aqueles que purificam o olhar da mente.

PALAVRAS-CHAVE: Felicidade. Verdade. Agostinho. Interioridade.

 

ABSTRACT: Considering the importance that the themes of Truth and happiness have always occupied in the field of philosophy, as well as the relevance that Augustinian thought still presents today, the objective of this work is to present how Saint Augustine defined the concepts of Truth and happiness and how he understood the Truth to be the presupposition for beatitude. To this end, a selection of the main texts in which the Bishop of Hippo best developed his understanding of these topics, such as Confessions, The Trinity, Happy Life, Soliloquies, True Religion, Free Will, Christian doctrine, The city of God and Retractions. At the same time, the research is supported by commentators from Santo Agostinho such as Trapé (2018), Gilson (2010), Maschio (2017) and others. In this way, it was observed that in Augustinian thought, Truth is a kind of incorporeal light that illuminates man and to which he must adhere. This ontological Truth is the biblical-Christian God Himself, which, in turn, forms the foundation for happy Life. This allows us to conclude that, for Augustine, man is happy to the extent that he conforms his life to the Truth, and that only those who purify the gaze of the mind reach it.

KEYWORDS: Happiness. Truth. Augustine. Interiority.

Biografia do Autor

Francisco Romário de Queiroz Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Francisco Romário de Queiroz Silva é graduando do Curso de Letras - Língua Portuguesa e Respectivas Literaturas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. É membro do Lumem, Grupo de Pesquisa em Filosofia Patrística e Medieval e membro do Programa Bale (Biblioteca Ambulante e Literatura na Escola). Suas pesquisas são direcionadas para o âmbito cristão, mas precisamente para a filosofia de Santo Agostinho, em que pesquisa sobre a problemática do amor no pensamento agostiniano. Tem experiência em temas como o amor, a vontade, a verdade e a beleza na filosofia de Santo Agostinho, História da Igreja, Teologia da Liturgia, Teologia Dogmática e História dos Concílios Ecumênicos. Atualmente também trabalha na Prefeitura Municipal de São Miguel, onde exerce o cargo de assessor de gabinete.

Francisco Clébio Figueiredo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Letras - PPGL/UERN. Mestre em Letras (aprovação com distinção) pelo Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (2015), Especialista em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (2012), Especialização em Metodologias Ativas pela Faculdade Evolução Alto Oeste Potiguar - FACEP (2020), Graduação em Letras com Habilitação em Língua Portuguesa e suas Respectivas Literaturas pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (2010). Graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Internacional - UNINTER (2019). Professor da Faculdade Evolução Alto Oeste Potiguar nos cursos de Pedagogia e Administração. Professor do Departamento de Letras Vernáculas do Campus Avançado de Pau dos Ferros - CAPF/UERN. Tem experiência com o Ensino Superior na área de educação e linguagem. Atuou como professor de Língua Portuguesa e Língua Inglesa na Rede Pública de Ensino da cidade de São Miguel-RN, trabalhando com turmas de Ensino Fundamental e Ensino Médio. Participou da construção do Documento Curricular do Rio Grande do Norte na condição de redator do componente curricular Língua Portuguesa. Publicação de trabalhos acadêmicos em eventos local, regional, nacional e internacional. Dedica-se ao estudo na área de Língua Materna com ênfase no ensino de gramática correlacionado ao texto e é membro do Grupo de Pesquisa em Estudos Funcionalista - GPEF.

Referências

AGOSTINHO, S. A cidade de Deus: Contra os pagãos, parte I. Tradução de Oscar Paes Leme. 14 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

AGOSTINHO, S. A doutrina cristã. São Paulo: Paulus, 2002.

AGOSTINHO, S. A verdadeira religião. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 2002.

AGOSTINHO, S. A Trindade. Tradução de Augustinho Belmonte. São Paulo: Paulus, 1994.

AGOSTINHO, S. Confissões. Tradução de J. Oliveira e A. Ambrósio de Pina. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

AGOSTINHO, S. De beata vita. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1998.

AGOSTINHO, S. O livre arbítrio. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1995.

AGOSTINHO, S. Solilóquios. Tradução de Adaury Fiorotti. São Paulo: Paulus, 1998.

AGOSTINHO, S. Retratações. Tradução de Augustinho Belmonte. São Paulo: Paulus, 1994.

BELMONTE, A. Introdução. In AGOSTINHO, S. Retratações. Tradução de Augustinho Belmonte. São Paulo: Paulus, 1994.

FRANGIOTTI, S. Introdução. In AGOSTINHO, S. De beata vita. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1998.

GILSON, É. Introdução ao estudo de Santo Agostinho. Tradução de Cristiane Negreiros Abbud Ayoub. 2 ed. São Paulo: Paulus, 2010.

MASCHIO, E. A. Santo Agostinho: O doutor da graça divina contra o mal. São Paulo: Editora Salvat, 2015.

OLIVEIRA, A. N. Nota do tradutor. In AGOSTINHO, S. O livre arbítrio. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 1995.

OLIVEIRA, A. N. Notas da tradutora. In AGOSTINHO, S. A verdadeira religião. Tradução de Nair de Assis Oliveira. São Paulo: Paulus, 2008.

TRAPÊ, A. Agostinho: o homem, o pastor, o místico. Tradução de Francisco Evaristo Marcos e Marcos Roberto Nunes Costa. São Paulo: Cultor de Livros, 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-14

Edição

Seção

Artigos