Entre Formalismo e Funcionalismo: considerações sobre o Estruturalismo, Gerativismo e Funcionalismo Linguísticos e uma proposta de análise a partir de princípios funcionalistas

Autores

  • Abraão Cleber Silva Nolasco Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v24i2.10126

Palavras-chave:

Tendências da Linguística, Estruturalismo, Gerativismo, Funcionalismo, Proposta de análise

Resumo

Neste artigo, objetivamos discorrer sobre as três grandes tendências da Linguística: Estruturalismo, Gerativismo e Funcionalismo Linguístico, assim como apresentar uma proposta para o tratamento dos usos linguísticos por esta última teoria a partir de duas categorias de análise (iconicidade e informatividade), com base nos trabalhos de Santos (2016) e Autor (2022). Foram fundamentais para se abordarem tais tendências linguísticas Castilho (2010), Costa (2015), Faraco (2011), Furtado da Cunha (2015), Givón (1995; 2001) Kenedy (2015) Pezatti (2011), Weedwood (2002), entre outros. Esperamos que este artigo possa contribuir com os estudos da linguagem, assim como auxiliar aqueles que se interessam pela linguagem humana em seus estudos e análises.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. rev. ampl e atualizada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

CASTANHEIRA, D. Linguística de Texto e Funcionalismo Norte-Americano em diálogo: em defesa de uma agenda de pesquisas. PERcursos Linguísticos, [S. l.], v. 12, n. 31, p. 181–202, 2022. DOI: 10.47456/pl.v12i31.38661. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/38661. Acesso em: 9 abr. 2023.

CASTILHO, A. T. de. Nova gramática do português brasileiro. 1. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

COSTA, Marcos Antonio. Estruturalismo. In: MARTELOTTA, Mario Eduardo Toscano. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2015.

CUNHA, C. F.; CINTRA, L. F. L. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

FARACO, Carlos Alberto. Estudos pré-saussurianos. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (orgs.) Introdução à Linguística: fundamentos epistemológicos. v. 3. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; COSTA, M. A.; CEZARIO, M. M. Pressupostos teóricos fundamentais. In: FURTADO DA CUNHA, M. A.; OLIVEIRA, M. R.; MARTELOTTA, M. E. Linguística Funcional: teoria e prática. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2015.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, E. B. Pressupostos teórico-metodológicos e categorias analíticas da linguística funcional centrada no uso. Revista do GELNE, v. 15, n. 1/2, p. 53-78, 15 mar. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/gelne/article/view/9410. Acesso em 22 nov. 2021.

FURTADO DA CUNHA, M. A. Funcionalismo. In: MARTELOTTA, M. E. (org.). Manual de Linguística. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2015.

GIVÓN, T. Syntax: an introduction. Amsterdam: Philadelphia: John Benjamins, 2001. v. 1.

GIVÓN, T. Functionalism and Grammar. Amsterdam: John Benjamins, 1995.

ILARI, R. O Estruturalismo Linguístico: alguns caminhos. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (orgs.) Introdução à Linguística: fundamentos epistemológicos. v. 3. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

KENEDY, E. Gerativismo. In: MARTELOTTA, M. E. Manual de Linguística. São Paulo: Contexto, 2015.

KOCH, I. V. K. A referenciação como construção sociocognitiva: o caso dos rótulos. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte. v. 16, n. 1, p. 201-2013, jan./jun. 2008. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/2486. Acesso em: 22 nov. 2021.

LUFT, C. P. Moderna gramática brasileira. 2. ed. São Paulo: Globo, 2002.

MARTELOTTA, M. E. Conceitos de gramática. In: MARTELOTTA, M. E. (org.). Manual de linguística. 2. ed. São Paulo: Editora Contexto, 2015.

MARTELOTTA, M. E.; KENEDY, E. A visão funcionalista da linguagem no século XX. In.: FURTADO DA CUNHA, M. A.; OLIVEIRA, M. R.; MARTELOTTA, M. E. (orgs.). Linguística Funcional: teoria e prática. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

NEGRÃO, E.; SCHER, A.; VIOTTI, E. A competência linguística. In: Introdução à Linguística: objetos teóricos. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2019.

NEVES, M. H. M. Gramática Funcional: interação, discurso e texto. São Paulo: Contexto, 2018.

AUTOR. Um olhar funcionalista para o adjetivo em função de adjunto adnominal em notícias e suas respectivas manchetes. Cadernos De Pós-Graduação Em Letras, 22(3), 18–34, set./dez. 2022. Disponível em: https://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/cpgl/article/view/15307. Acesso em: 9 abr. 2023.

PEZATTI, E. G. O funcionalismo em linguística. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (orgs.). Introdução à linguística: fundamentos epistemológicos. São Paulo: Cortez, 2005.

ROCHA LIMA, C. H. da. Gramática normativa da língua portuguesa. 48. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2001.

SANTOS, D. R. S. O funcionamento dos elementos adverbiais no gênero propaganda. 2016. 145f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

SAUSSURE. F. Curso de Linguística Geral. Trad.: Marcos Bagno. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2021.

WEEDWOOD, B. História concisa da Linguística. São Paulo: Parábola, 2002.

Downloads

Publicado

2024-04-04

Como Citar

Nolasco, A. C. S. (2024). Entre Formalismo e Funcionalismo: considerações sobre o Estruturalismo, Gerativismo e Funcionalismo Linguísticos e uma proposta de análise a partir de princípios funcionalistas. A Cor Das Letras, 24(2). https://doi.org/10.13102/cl.v24i2.10126