A simbologia do animal na construção da personagem: o real e o irreal no conto “Tigrela” de Lygia Fagundes Telles

Autores

  • Antonia Marly Moura Silva Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v18i1.1621

Resumo

No discurso mimético de Lygia Fagundes Telles, eventos aparentemente verossímeis cedem lugar à imaginação, imprimindo uma atmosfera de confronto entre o estranho e o familiar, o real e o irreal. No conto “Tigrela”, integrante da obra Mistérios (1981), a personagem feminina é delineada com traços que confundem sua identidade. Trata-se da história de Romana e seu animal de estimação, Tigrela, uma fêmea de tigre com quem a mulher partilha o luxo e o conforto de um apartamento, adaptado para tal convivência. Na trama, a mulher ora vela ora revela seus traços animalescos ao mesmo tempo em que acentua atributos humanos na representação do animal. A caracterização dessa relação binária constitui terreno fértil para uma reflexão sobre os limites entre homem e bicho. Sob tal enfoque, faremos uma leitura da narrativa à luz dos conceitos de fantástico formulados por Roger Bozzetto (2001), Irène Bessière (2005), David Roas (2001, 2011, 2014), Julio Cortázar (1993), dentre outras referências da Teoria da Literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antonia Marly Moura Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Docente vinculada ao Programa de Pós-Graduaçlão em Letras - PPGL - e Programa de Pós-Graduação em Cièncias da Linguage - PPCL, ambos da Universidade do estado do Rio Grande do Norte -UERN, Departamento de Letras Vernáculas, área de Literatura Brasileira.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2004.

BRAVO, Nicole F. O duplo. In: BRUNEL, Pierre. Dicionário de mitos literários. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1997. p. 261-288.

CADERNOS DE LITERATURA BRASILEIRA: Lygia Fagundes Telles. São Paulo: Instituto Moreira Sales, 2002.

CALVINO, Ítalo. Contos fantásticos do século XIX: o fantástico visionário e o fantástico cotidiano. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

CESERANI, Remo. O fantástico. Curitiba: Editora UFPR, 2006.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou. Tradução Fábio Landa. - São Paulo: Editora UNESP, 2002.

FINNÉ, Jean. La littérature fantastique. Essai sur l'organisation surnaturelle. Bruxelles: Éditions de l'Université de Bruxelles, 1980.

FURTADO, Felipe. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

GIDDENS, Anthony. As conseqüências da modernidade. Tradução de Raul Fiker. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

HEIDEGGER. Os pensadores. Trad. e notas: Ernildo Stein. São Paulo: Nova cultural, 1991.

KRISTEVA Julia. História de amor. Trad. Leda Tenório da Motta. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

LAMAS, Berenice Sicas. O duplo em Lygia Fagundes Telles: um estudo em Literatura e psicologia. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

LUCAS, Fabio. O conto no Brasil moderno. In: LIMA, Luis Costa. et. al. O livro do seminário. São Paulo: Nestlé /L. R. Editores, 1983, p. 103-161.

MAGALHÃES JÚNIOR, Raimundo. O conto fantástico. In:____. A arte do conto: sua história, seus gêneros, sua técnica, seus mestres. Rio de Janeiro: Bloch, 1972.

MELLO, Ana Maria Lisboa de. As faces do duplo na literatura. In: INDURSKY, Freda. Discurso, memória, identidade. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2000.

RIBEIRO, Juliana Seixas. Mistérios de Lygia Fagundes Telles: uma leitura sob a óptica do fantástico. (Dissertação de Mestrado). Campinas, SP: UNICAMP, 2008. Disponível em: < http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000439373>. Acesso em: 15 jul. 2008.

ROAS, David. La amenaza de lo fantástico. In: ROAS, David. et. al. Teorías de lo fantástico. Madrid: Arco Libros, 2001. p. 07-44.

____. Tras los limites de lo real: uma definição de lo fantástico. Madrid: Páginas de Espuma, S. L., 2011.

____. A ameaça do fantástico: aproximações teóricas. São Paulo: Editora da UNESP, 2014.

RODRIGUES, Selma Calasans. O fantástico. São Paulo: Ática, 1988.

ROSSET, Clemente. O real e seu duplo: ensaio sobre a ilusão. 2. Ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

SILVA, Vera Maria Tietzmann. A metamorfose nos contos de Lygia Fagundes Telles. 2. ed. Goiania: Editora da UFG, 2001.

TELLES, Lygia Fagundes. Mistérios. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

Downloads

Publicado

2017-06-03

Como Citar

Silva, A. M. M. (2017). A simbologia do animal na construção da personagem: o real e o irreal no conto “Tigrela” de Lygia Fagundes Telles. A Cor Das Letras, 18(1), 41–56. https://doi.org/10.13102/cl.v18i1.1621