O rotacismo na fala de crianças de Santo Amaro – Bahia

Autores

  • Eliana Muniz Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), campus dos Malês
  • Shirley Freitas Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), campus dos Malês http://orcid.org/0000-0001-6124-8067
  • Manuele Bandeira Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), campus dos Malês

Palavras-chave:

Rotacismo, Coda e onset complexo, Fatores linguísticos e extralinguísticos, Crianças santamarenses

Resumo

Neste artigo, analisamos o rotacismo na fala de crianças em processo de alfabetização de Santo Amaro – BA, verificando se as ocorrências possuem uma regularidade quanto a aspectos linguísticos e sociais. A pesquisa considera que o rotacismo ocorre em virtude da semelhança de traços entre as consoantes /l/, /ɾ/ e /r/ (CHOMSKY; HALLE, 1968). Para a pesquisa, foram realizadas gravações com 3 meninas e 3 meninos, cursando o 2º ano do ensino fundamental. Os testes foram divididos em quatro contextos: onset complexo com /l/ e com /ɾ/, coda com /l/ e com /R/, com testes de nomeação de imagens e testes de leitura de palavras, totalizando 36 vocábulos. Os resultados mostraram a ocorrência do fenômeno, principalmente, em contexto de onset complexo em palavras como plástico [ˈpɾastʃikʊ] e bicicleta [bisiˈkɾɛtɐ], e sobretudo nos testes de nomeação, o que parece indicar a influência da grafia no rotacismo. Ressaltamos também um padrão de ocorrências na sílaba tônica e no contexto de coda não houve ocorrências de rotacismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Shirley Freitas, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), campus dos Malês

Interesse em fonética e fonologia, morfologia, contato entre línguas

Referências

BAGNO, M. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. 49 ed. Loyola: São Paulo, 2007.

CHOMSKY, N; HALLE, M. The Sound Pattern of English. New York: Harper & Row, 1968.

COSTA, L. T. Estudo do rotacismo: variação entre as consoantes líquidas. 2006. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

COSTA, L. T. Abordagem dinâmica do rotacismo. 2011. 173 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

FREITAG, R. M. K. et al. “Vamos prantar frores no grobo da terra”: estudando o rotacismo nas séries iniciais da rede municipal de ensino de Moita Bonita/SE. RevLet – Revista Virtual de Letras, Sergipe, v. 2, n. 2, p. 17-31, 2010.

GOMES, C. A.; SOUZA, C. N. R. Variáveis Fonológicas. In: MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (Org.). Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto. 2003.

GUY, G.; ZILLES, A. Sociolingüística quantitativa: instrumental de análise. São Paulo: Parábola, 2007.

HOOPER, J. B. An introduction to Natural Generative Phonology. New York: Academic Press, 1976.

LABOV, W. Principles of linguistic change: internal factors. Oxford: Blackwell, 1994.

LABOV, W. Principles of linguistic change: social factors. Oxford: Blackwell, 2001.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008 [1972].

PEREIRA, F. F. L.; ALBUQUERQUE, T. S. C. de. Síncope e rotacismo: uma investigação de fenômenos linguísticos no falar de indivíduos de Patos de Minas e região. Revista Crátilo, Patos de Minas, v. 8, n. 1, p. 34-42, ago. 2015.

SEARA, I. C. et al. Fonética e Fonologia do Português Brasileiro. 2. ed. Florianópolis: LLV/CCE/UFSC, 2011.

SELKIRK, E. The syllable. In: HULST, H.; SMITH, N. (Ed.) The Structure of Phonological Representations. Dordrecht: Foris, 1982. p. 337-383.

TEM TEM, L. F. Rotacização das líquidas nos grupos consonantais: representação fonológica e variação. 2010. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].

Downloads

Publicado

2024-04-04

Como Citar

Muniz, E., Freitas, S., & Bandeira, M. (2024). O rotacismo na fala de crianças de Santo Amaro – Bahia. A Cor Das Letras, 24(2). Recuperado de https://periodicos.uefs.br/index.php/acordasletras/article/view/7546