Macunaíma e Casa grande & Senzala: uma análise decolonial das traduções de Héctor Olea e Antonio Barandiarán

Autores

  • Aline de Freitas Santos Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Elaine Cristina dos Santos Costa Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Patrício Nunes Barreiros Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.13102/cl.v24iEspecial.9350

Palavras-chave:

Tradução (de) colonial; Marcadores Culturais; Macunaíma; Casa Grande & Senzala;

Resumo

Neste artigo, propomos uma análise da tradução de Macunaíma, de Mário de Andrade, e de Casa Grande & Senzala, de Gilberto Freire, para a língua espanhola, colocando no centro do debate o tradutor como mediador que atua na produção de um discurso complexo. Objetivamos apresentar uma análise de elementos lexicais e intersemióticos que evidenciam a postura decolonial na tradução realizada por Héctor Olea e dos traços da colonialidade na tradução de Antonio Barandiáran. As escolhas denunciam uma prática tradutória e os interesses ideológicos e socioculturais que influenciam as decisões do tradutor. A metodologia do trabalho é de caráter bibliográfico-comparativo, baseando-se nas pesquisas empreendidas por Santos (2021) e Costa (2020), e situa-se nos estudos dos marcadores culturais na Tradução (AUBERT, 2006), nas discussões sobre decolonialiade (QUIJANO, 2000; MALDONADO-TORRES, 2007) e nos estudos da tradução (VENUTI, 1995; 2002; COSTA, 2005). Concluímos que em Macunaíma o tradutor optou por uma tradução decolonial, ao valorizar representações da cultura dos povos originários da América; e na tradução de Casa Grande & Senzala, o tradutor optou por uma tradução colonizadora, ao reproduzir estereótipos da cultura brasileira para o público europeu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aline de Freitas Santos, Universidade Estadual de Feira de Santana

Professora do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Doutoranda e Mestre em Estudos Linguísticos (PPGEL/UEFS/FAPESB) e membro do grupo de Estudo de Marcadores Culturais em obras literárias brasileiras traduzidas, coordenado pelo Professor Dr. Patrício Barreiros, no Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Humanidades Digitais (NeiHD-UEFS). É integrante do Grupo de Estudos Ressignificações na América, coordenado pelo Professor Dr. Gilmei Franscisco Fleck, na Unioeste do Paraná. Compõe a Equipe Editorial de Língua Estrangeira da Revista Educação e Ciências Sociais (RECS/UNEB).

Elaine Cristina dos Santos Costa, Universidade Estadual de Feira de Santana

Doutoranda (FAPESB) e Mestra em Estudos Linguísticos - PPGEL/UEFS; Pesquisadora do Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Humanidade Digital (NEIHD) - UEFS e membro do Grupo de Pesquisa "Ressignificações do passado na América: processos de leitura, escrita e tradução de gêneros híbridos de história e ficção - vias para a descolonização" da Universidade Estadual do Oeste do Paraná; Especialista em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) - RJ; licenciada em Letras com Espanhol pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS - Ba; Intercambista pelo Programa de Mobilidade Acadêmica da AERI/UEFS. 

Referências

ANDRADE, Mário de. Macunaíma. Tradução de Héctor Olea. Barcelona: Ediciones Octaedro, 2004.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma. Tradução de Héctor Olea. Barcelona: Ediciones Octaedro, 2004.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma: um herói sem nenhum caráter. São Paulo: Editora Martins, 1978.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma: un héroem hero sin ningún carátercarácter. Tradução de Héctor Olea. In: SOUZA, Gilda de Melo. Mario de Andrade- Obra escogida: novela, cuento, ensayo, epistolar. Venezuela: Biblioteca Ayacucho, 1979.

ANZALDÚA, Gloria. La conciencia de la mestiza, rumo a uma nova consciência. Rev. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 13, n. 3, p. 704-719, 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2005000300015. Acesso em: 23 jun. 2023.

ASTURIAS, Miguel Angel. Torotumbo. Buenos Aires: Editorial Goyanarte, 1956. Disponível em: https://www.literatura.us/miguel/toro.html. Acesso em: 07 set. 2020.

AUBERT, Francis Henrik. Indagações acerca dos Marcadores Culturais na Tradução. São Paulo: Estudos orientais, 2006, p. 23-36. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5011929/mod_resource/content/1/aubert%20- %20marcadores%20culturais.pdf. Acesso em: 10 mar. 2023.

COSTA, Elaine Cristina dos Santos. Marcadores Culturais na tradução para o espanhol em Casa Grande & Senzala: A fronteira linguístico-sociocultural do domínio ideológico. 2020. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Programa de Pós-graduação em Estudos Linguístico, UEFS, 2020.

COSTA, Walter Carlos. O texto traduzido como re-textualização. Santa Catarina: Cadernos de tradução, 2005, p. 25-54. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/6656/6204. Acesso em: 05 mar. 2023.

DUSSEL, Enrique. Modernidad y alteridad (Las Casas, Vitoria y Suárez: 1514-1617). Revista Cuadernos Salmantinos de Filosofía, Universidad Pontificia de Salamanca, vol. XXX, p. 689-720, 2013.

FRANCISCO, Reginaldo. Estrangeirização e domesticação: indo além de mais uma dicotomia. Scientia Traductionis, n. 16, 2014, p. 91-100. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2014n16p91. Acesso em: 16/16/2023.

FRANCISCO, Reginaldo. Estrangeirização e domesticação: indo além de mais uma dicotomian. Scientia Traductionis, v. 16, 2014, p. 91-100. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2014n16p91.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande y Senzala. 1. ed. Tradução: Antonio Maura Barandiarán. Madrid: Marcial Pons, 2010

FREYRE, Gilberto. Casa grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51. ed. São Paulo: Global, 2006.

GÓMEZ-PEÑA, Guillermo. The New World (B)order. Prophecies, Poems & Loqueras for the End of the Century. San Francisco: City Lights, 1996.

GOROVITZ, Sabine; FERREIRA, Alice Maria Araújo. Entrevista: Márcio Seligmann-Silva. Revista Belas Infiéis, Brasília, v. 10, n. 4, p. 01-18, 2021. Disponível em: Acesso em: 20 mar. 2023.

JAKOBSON, Roman. On Linguistic Aspects of Translation. In BROWER, R.A. (eEd.). – On Translation. Cambridge: Harvard University Press, 1959, p. 232-9.

MALDONADO-TORRES, N. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: MALDONADO-TORRES, N. El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global / compiladores Santiago Castro-Gómez y Ramón Grosfoguel. – Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007, p. 127-167.

MIGNOLO, Walter D. Colonialidade: o lado mais obscuro da modernidade. São Paulo.: RevRevista Brasileira de Ciências Sociais. bras. Ci. Soc. [online], 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 69092017000200507 & script= sci_abstract & tlng=pt. Acesso em 19 mar. 2023.

PYM, Anthony. Explorando as teorias da tradução. Tradução Rodrigo Borges de Faveri, Claudia Borges de Faveri e Juliana Steil. São Paulo: Perspectiva, 2017.

QUIJANO, Anibal. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, Edgardo. La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales. Buenos Aires: CLACSO, 2000. Disponível em: https://www.tni.org/files/download/La%20colonialidad%20del%20saber.%20 Eurocentrismo%20y%20ciencias%20sociales.pdf. Acesso em: 12 mar. 2023.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidade-racionalidad. In: BONÍLIA, Heraclio (Compilador). Los conquistados. 1492 y la población indígena de las Américas. Bogotá: Tercer Mundo Editores, 1992.

SANTOS, Aline de Freitas. O domínio híbrido na tradução de Casa Grande e Senzala e Macunaíma. Rio de Janeiro: CiFEFiL, Revista Philologus, 2021, p. 528-540.

SANTOS, Aline de Freitas. Os Marcadores Culturais do domínio ideológico na tradução de Macunaíma e o protótipo do glossário bilíngue. 2021. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos)- Programa de Pós-graduação em Estudos Linguístico, UEFS, 2021.

SCHLEIERMACHER, F. On the differents methods of translating. Tradução de Andre Lefevere. In: LEFEVERE, A. et al. Translation, History, Culture: a sourcebook. Londres e Nova York: Routledge, 1992.

VENUTI, Lawrence. Escândalos da tradução: por uma ética das diferenças. São Paulo: UNESP, 2002.

VENUTI, Lawrence. The traslator’s invisibility: a history of translation. Londres: Translation Studies, 1995.

Downloads

Publicado

2023-07-18

Como Citar

de Freitas Santos, A., dos Santos Costa, E. C., & Nunes Barreiros, P. (2023). Macunaíma e Casa grande & Senzala: uma análise decolonial das traduções de Héctor Olea e Antonio Barandiarán. A Cor Das Letras, 24(Especial), 316–335. https://doi.org/10.13102/cl.v24iEspecial.9350

Edição

Seção

Dossiê - Ressignificações do passado da América: vias para a descolonização e o pensamento decolonial na literatura e na tradução literária