AS CORES DO CÉU

THE COLORS OF THE SKY

Autores

  • Jornandes Jesús Correia Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB

DOI:

https://doi.org/10.13102/cadfsuefs.v20i02.9302

Resumo

Uma fração da radiação emitida pelo Sol atinge a atmosfera terrestre e dá origem, de forma direta ou indireta, a vários  fenômenos de natureza térmica, óptica, elétrica, magnética e acústica. O aquecimento da atmosfera, o arco-íris, as auroras, os  halos e as coroas solar e lunar, o brilho e a variedade das cores do céu são apenas alguns dentre uma infinidade de meteoros que  têm seus fundamentos teóricos embasados por espalhamento de radiação pelos sistemas que formam a atmosfera  terrestre. Este artigo visa analisar parte dos efeitos de natureza óptica que ocorrem na atmosfera terrestre desde o nascer até o por do Sol. Um destes efeitos analisados é sobre a cor do céu. Se a cor da atmosfera estivesse condicionada ao espalhamento  Rayleigh, o céu deveria ser violeta; se a percepção de uma cor dependesse apenas do máximo da curva de sensibilidade espectral relativa para a visão humana, o céu deveria ser verde; se a cor emitida pela atmosfera estivesse associada ao máximo do espectro de emissão do Sol avaliado base da atmosfera terrestre, o céu deveria ser anil. Logo, conclui-se que o azul do céu é consequente de uma superposição de efeitos não apenas físicos, mas também fisiológicos. 

Capa do Caderno de Física sa UEFS, v.20, n.02, 2022.

Downloads

Publicado

22-10-2022

Edição

Seção

Materiais, Métodos e Produtos Didáticos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)