O que é feito da sombra? As manifestações do fantástico no conto “Luzeiro”, de James Frederico Rocha Coelho

Francisco Perna Filho; Heleno Godói de Sousa

Resumo


Este ensaio analisa o conto “Luzeiro”, de James Frederico Rocha Coelho, autor brasileiro contemporâneo, sob a perspectiva do fantástico. Para tanto, discute os conceitos de estranho, maravilho e fantástico, ao mesmo tempo em que enfatiza o papel do narrador-personagem como condutor e mantenedor da ambiguidade desse tipo de narrativa. 


Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Poética. In BRUNA, Jaime. A poética clássica. Org. e trad. Jaime Bruna. São Paulo: Cultrix, 1990.

FURTADO, Filipe. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

JACKSON, Rosemary. Fantasy – The literature of Subversion. London: Routledge, 1998.

COELHO, James Frederico Rocha. Histórias civilizadas (contos). Goiânia: América, 2015.

RODRIGUES, Selma Calasans. O fantástico. São Paulo: Ática, 1988.

SAGE, Victor, Org. The Gothic Novel – A Casebook. London: Macmillan, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.13102/cl.v18i1.1624

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Universidade Estadual de Feira de Santana

 

 

 Licença Creative Commons

A Revista A Cor das Letras está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.